Município de Abrantes suspende atendimentos presenciais para contenção do Covid-19. Foto: mediotejo.net

A CM Abrantes aprovou na última reunião de executivo a comparticipação do município no projeto Unidades Móveis de Intervenção Precoce – Unidades Móveis para Cuidados de Saúde na Comunidade, um projeto intermunicipal que a CIMT pretende instalar nos 13 concelhos do Médio Tejo através de candidatura a fundos comunitários, com a aquisição de 13 viaturas elétricas para o efeito. O montante a comparticipar (cerca de 4 mil euros) corresponderá a 8% do total da despesa prevista para 2017, de 66.943,98 euros.

Celeste Simão, vereadora com o pelouro da Ação Social, referiu que esta Unidade Móvel tem uma “importância muito grande para as populações”, alertando nomeadamente para o caso da população mais idosa que não tem “tanta facilidade” em se deslocar, “embora exista o projeto de Transporte a Pedido, mas as pessoas ainda têm alguma dificuldade em se poderem deslocar aos locais muitas vezes para fazer tratamentos, para pedir algum aconselhamento, sobre medicamentos, etc”, disse.

“Esta é uma forma de levarmos os serviços à comunidade, não havendo a necessidade de as pessoas se deslocarem”, notou, frisando que deste modo se está a poupar o orçamento familiar a mais gastos, diminuindo a sua despesa.

A equipa deverá ser constituída por duas ou três pessoas, com serviço de enfermagem e psicologia, fazendo ainda notar a vereadora que é também importante disponibilizar estes serviços “no terreno”, uma vez que não há facilidade em termos de acesso a consultas médicas de especialidade.

A distribuição e gestão da equipa será feita pelo ACES Médio Tejo em parceria com o município, à semelhança do que irá acontecer com todos os concelhos do Médio Tejo, “vamos confiar muito nos técnicos que vão estar nesta equipa. Vai ficar sediada em Abrantes e em parceria com a Câmara vão ser definidas rotas”, explicou Celeste Simão, acrescentando que o acompanhamento será feito em articulação com os centros de saúde e as unidades de saúde familiar.

O protocolo com a CIMT refere-se à cooperação no desenvolvimento do processo de aquisição da viatura, enquanto o protocolo com a ARSLVT se destina à cooperação no aluguer das baterias para a mesma e a disponibilização de técnicos de saúde bem como o material de consumo clínico e médico necessário para a utilização da viatura, informa a autarquia.

A Câmara assume, assim, a propriedade do veículo e ficará responsável pelo pagamento do aluguer das baterias, sendo, posteriormente compensada pelo pagamento desses montantes financeiros, pela ARSLVT ou pela ARSCentro, nos termos celebrados nos Protocolos de colaboração.

Câmara já tinha “vontade de ter este serviço junto da população”

Segundo a vereadora com o pelouro da Ação Social, já existia a vontade da autarquia em implementar esta Unidade Móvel de Cuidados na Comunidade, porém surgiu a oportunidade de haver candidaturas neste âmbito, “e não há como não aproveitar”, assumiu.

Ao ser feita candidatura pela CIMT, “a escala é maior, e mais rentável poderá sair este investimento”, tendo-se ainda em conta “que todas as comunidades necessitam de ter estes serviços de proximidade, nada como ser a CIMT a proceder a esta candidatura”.

“Já estávamos em processo de consulta (…) para, há cerca de 3 meses, avançarmos com a compra da carrinha. Mas, no entanto, as pessoas não estão abandonadas no território, de qualquer das maneiras há autarquias que já avançaram, mas nós preferimos esperar e começar com tudo devidamente no terreno e tudo devidamente acertado”, explicou em declarações à comunicação social, justificando este decisão do município em aguardar a resposta que será dada pela Comunidade Intermunicipal.

Recorde-se que Mação optou por se antecipar a este projeto da CIMT, investindo numa viatura que ficou à disposição do Centro de Saúde de Mação para ações de prestação de cuidados domiciliários, ultrapassando problemas de deslocação associados à dispersão e extensão do território do concelho. Também Sardoal tem uma viatura disponível para utilização da parte da unidade local de saúde, aguardando formalização do contrato com o ACES Médio Tejo, notando urgência na consolidação da Unidade de Cuidados na Comunidade.

Ainda assim, ambos os concelhos, entre outros da região do Médio Tejo, já aprovaram favoravelmente os protocolos de colaboração com a CIMT para a aquisição das 13 viaturas elétricas adaptadas para as unidades de cuidados na comunidade nos municípios integrantes da Comunidade Intermunicipal no âmbito da candidatura «Unidades Móveis para Cuidados de Saúde na Comunidade» ao Aviso de Concurso N.º CENTRO-42-2016- 01 do Programa Operacional Regional Centro 2020.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.