Jovens abrantinos espalham alegria pela Europa

Quem tem dúvidas acerca do (bom) futuro da Humanidade não conhece este grupo de 24 alunos da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes de Abrantes que entre os dias 4 e 7 de outubro andam a viajar pela Europa. São todos muito jovens – têm entre 16 e 17 anos – mas a sua alegria de viver aliada ao sentido de responsabilidade e vontade de contribuírem para um mundo melhor é desconcertante.

Acompanho o grupo há quase 48 horas, em Estrasburgo, França, e ainda não vi nada que me envergonhasse, se fosse mãe ou pai deles. Que bom trabalho fizeram os pais. E os professores, claro. Sempre atenciosos, colocam os seus limites mas também lhes sabem dar as asas que eles pedem, deixando-os voar, até regressarem à hora combinada, sem atrasos nem protestos. Isto viu-se logo no dia da partida, 7h30 da manhã, com todos a chegarem à hora, pontualmente. Ou quando no aeroporto de Lisboa, enquanto aguardavam o voo, lhes foi dito a hora a que deviam estar perto do painel de horários. E estavam.

No aeroporto de Paris a trocar experiencias com passageiros de outras nacionalidades

Estes alunos estão em Estrasburgo para participarem na Jornada da Euroscola marcada para esta sexta-feira, 6 de outubro. Estão aqui graças ao trabalho das alunas Inês Grácio e Inês Geraldes. Na hora a que escrevo esta peça, no quarto do hotel e no computador emprestado de um deles – o do hall de entrada está ocupado e o teclado é diferente – estão juntos a trabalhar para que corra tudo bem amanhã. Foram os próprios a sugerir isso mesmo: sabem que vão representar Portugal e estão conscientes da sua responsabilidade. E que orgulho sentem!

O mesmo orgulho que levou quatro deles a trazer na mala de viagem a bandeira das quinas, que colocaram bem visível assim que aterraram no aeroporto de Paris, na tarde de quarta-feira. Onde se sentaram ao piano, com Joana Ferreira a tocar e os colegas a declamar a Pedra Filosofal de António Gedeão. Onde o aluno João Morgado assumiu o papel de maestro e cantaram para quem passava algumas canções tradicionais.

No TGV entre Paris e Estrasburgo já se tinha ouvido “o malhão, malhão”. E palmas, muitas palmas. As mesmas que se ouviram após terem cantado os “Parabéns a você!” ao Henrique Damas, que completa esta quinta-feira, 5 de outubro, 17 anos. Cantaram os parabéns sete ou oito vezes. Não se esquecem uns dos outros. Sente-se a amizade entre todos e mesmo os mais distantes, porque cada um tem a sua personalidade, nunca se isolam completamente. Há um espírito de grupo. “É a família Estrasburgo”, dizia-me uma das jovens.

O grupo junto a Catedral de Estrasburgo que visitou esta quinta feira
Os professores Irene Almeida; Claudia Nascimento e Alcino Herminio

De vez em quando, as professoras Irene Almeida e Cláudia Nascimento contam as cabeças. Mas sabem que podem confiar neles. Por isso, não se sente qualquer stress ou preocupação. Alcino Hermínio, o diretor da Escola, anda sempre por perto e nunca desarma. Há que saber que transportes públicos se devem apanhar, onde fica o restaurante com os jantares marcados e todas as questões são resolvidas prontamente.

O entusiasmo dos jovens – uma constante em toda a viagem – foi o seu principal entrave na manhã desta quinta-feira quando o segurança do Parlamento Europeu ficou alarmado com o fato de trazerem as bandeiras de Portugal, levando a que impedissem a entrada do grupo no Parlamento como visitantes.

Valeu a intervenção dos professores que tinham o contacto da Eurodeputada Marisa Matias que ainda os conseguiu levar até ao interior do edifício. Mesmo não entrando nas galerias – onde vão estar amanhã – todos apreciaram o momento e dão valor a cada momento partilhado. Com jovens desta massa acredita-se que sim. Sim, é possível um futuro melhor.

Elsa Ribeiro Gonçalves

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.