Foram tentadas manobras de reanimação do jovem, mas sem sucesso. O caso está a ser investigado agora pela Polícia Judiciária. Fotos: DR

Um jovem de 23 anos morreu na segunda-feira no centro histórico de Abrantes, na Rua Bernardino Machado, após ter caído do 3º andar de uma residência para estudantes em circunstâncias que a Polícia Judiciária, chamada ao local, está a apurar. Segundo disse ao mediotejo.net a vereadora da Educação na Câmara de Abrantes, o jovem, natural de Cabo Verde, mas de nacionalidade portuguesa, reside no Algarve com a família e estudava na Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA/IPT). Não houve testemunhas do incidente e a família aguarda a libertação do corpo, que vai ser submetido a autópsia.

“O jovem partilhava no momento a residencial com mais dois estudantes da ESTA, mas nem estes nem a senhora da limpeza, que foi quem deu com o corpo na via pública, testemunharam o que sucedeu. Não há testemunhas, não se sabe ao certo se caiu do 3º andar se do terraço, e a Polícia Judiciária é quem está a investigar o caso e aguarda-se pela autópsia para libertar o corpo”, disse Celeste Simão.

Segundo a responsável, a autarquia e a instituição de ensino superior providenciaram de imediato “apoio e acompanhamento psicológico aos dois estudantes e à empregada de limpeza” estando a família do jovem sinistrado a aguardar a libertação do corpo para poder realizar as cerimónias fúnebres.

Os bombeiros de Abrantes foram chamados ao local às 17:14 de segunda-feira e encontraram o jovem em estado inconsciente, tendo iniciado manobras de reanimação, mas sem sucesso. O óbito acabaria por ser declarado no local pela Viatura Médica de Reanimação e Emergência (VMER) do Médio Tejo.

O local da ocorrência, ao final da tarde de hoje, com a presença de elementos dos bombeiros, VMER, PSP e PJ. Foto: DR

O andar (ou o terraço) de onde o jovem terá caído situa-se acima do Espaço Jovem, um local onde funcionou durante muitos anos o Centro de Emprego e que a autarquia requalificou para os estudantes que frequentam o ensino superior na cidade, servindo como residência de estudantes.

No local esteve uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Abrantes e a VMER Médio Tejo. A PSP de Abrantes esteve no local durante várias horas, assim como vários elementos da PJ, em trabalhos de peritagem para apurar as causas da queda que provocou a morte do jovem estudante da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (ESTA).

Já esta terça-feira, o Politécnico de Tomar emitiu uma nota de pesar:

“É com profundo pesar que o Instituto Politécnico de Tomar vem informar do falecimento de um nosso estudante da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, em circunstâncias ainda por apurar. Quer o Instituto Politécnico de Tomar quer a Câmara Municipal de Abrantes já se disponibilizaram para prestar todo o apoio psicológico aos colegas, amigos e familiares”, escreveu a direção do IPT, tendo apresentado as condolências a todos os familiares e amigos.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Entre na conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.