Identidade gráfica do Município de Abrantes

Afinal a identidade gráfica do Município de Abrantes aprovada em 2017, para vigorar até 2021, foi alterada ainda em 2020. Ao grafismo retirou-se-lhe a cor tijolo utilizada no centenário da cidade de Abrantes, voltando ao azul que existia no logótipo inicial, retirando-lhe ainda a expressão ‘Cidade Centenária’, explicou o presidente da Câmara Municipal em reunião de executivo.

Segundo Manuel Jorge Valamatos “o serviço de Comunicação da Câmara percebeu que era altura de renovar porque começamos a ter os carros com o logótipo descaracterizado, um conjunto de sinalética que importava renovar”.

O presidente lembrou que a identidade gráfica da Câmara atualmente refere ‘Cidade Centenária’ e entendeu “fazer sentido regressar ao logótipo inicial”. Aquele momento das comemorações dos 100 anos de elevação de Abrantes a cidade “já está a passar”, justificou, dizendo que “nesta altura é preciso renovar a sinalética dos nossos equipamentos. À medida que vamos tendo necessidade de requalificar vamos introduzindo este novo logótipo que, no fundo, é o azul da cidade e por baixo em vez de ‘Cidade Centenária’ voltamos a ter ‘Município’”.

A ideia passa por alterar “pouco e pouco” a imagem “nos diferentes equipamentos e espaços do Município para o original, para o logótipo base”.

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou uma nova identidade gráfica, a vigorar no período do atual mandato, de 2017 a 2021, em novembro de 2017. Esse novo grafismo foi aprovado em reunião de executivo com abstenção do Bloco de Esquerda.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.