Hospital de Abrantes, do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), retoma visitas suspensas desde terça-feira por pico na Urgência. Foto: mediotejo.net

“Por questões operacionais, foram suspensas provisoriamente as visitas aos doentes internados no Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica da Unidade de Abrantes do CHMT durante o dia de hoje, 17 de janeiro”, refere o centro hospitalar em nota informativa publicada nas redes sociais, dando conta que as mesmas “serão retomadas assim que possível”.

Fonte do CHMT disse à Lusa que existe “muita pressão” no Serviço de Urgência, com “elevada procura” de pessoas “a necessitar de observação e a grande maioria de internamento devido a problemas ligados a doenças respiratórias e gripes”, com os tempos de espera, cerca das 19:00, a situarem-se nas duas horas para os utentes de pulseira amarela, e que necessitam de observação hospitalar, e para os muitos urgentes (pulseira laranja) de nove minutos.

Segundo a mesma fonte, a suspensão provisória das visitas aos doentes internados no Serviço de Urgência, hoje decidida e que “amanhã será reavaliada”, visa “garantir melhores condições de conforto aos doentes que procuram os serviços e condições de trabalho otimizadas para os profissionais de saúde poderem prestar melhores cuidados”.

Na nota informativa, o CHMT refere ainda que “estão a ser empreendidos todos os esforços para superar os constrangimentos” e que foi hoje “reforçada a capacidade de internamento em 16 camas”.

“O Serviço de Urgência do CHMT está de portas abertas à população e ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM”, sublinha o CHMT na nota informativa, tendo feito notar a necessidade de “antes de os utentes se deslocarem a qualquer unidade hospitalar de contactarem previamente a linha de saúde pública SNS24 (808 24 24 24) e, em caso de emergência, ligar 112”.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população na ordem dos 266 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, a par da Golegã, da Lezíria do Tejo, também do distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos de Portalegre.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *