Durante a apresentação da máquina 'Alcoolmatic' no Hospital de Abrantes. créditos: mediotejo.net

Na semana em que se celebra o Dia Internacional da Higienização das mãos, o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) recebeu três máquinas automáticas de desinfeção das mãos, oferecidas pela empresa H.JDP, com sede em Abrantes e fábrica em Constância. O mediotejo.net assistiu à demonstração da nova máquina na Unidade Hospitalar de Abrantes, onde o administrador do CHMT, Carlos Andrade, avançou que neste momento são 5 os doentes com covid-19 internados no Hospital e que dos testes de diagnóstico realizados pelo CHMT verifica-se um maior número de infetados com idades compreendidas entre os 30 e os 39 anos.

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) recebeu três máquinas automáticas de desinfeção das mãos, oferecidas pela empresa H.JDP Alimentar Unipessoal Lda. Encontra-se um exemplar ‘Alcoolmatic’ desde a manhã desta sexta-feira no hall de entrada do Hospital de Abrantes. O utilizador não necessita de tocar no equipamento uma vez que o mesmo é acionado através de um sensor de proximidade colocado no interior.

Na oportunidade, o presidente do Conselho de Administração do CHMT, Carlos Andrade, disse ao mediotejo.net que o Centro Hospitalar realizou até ao momento mais de 4 mil testes de diagnóstico ao vírus SARS- Cov-2, um número que considerou “significativo no contexto dos hospitais portugueses”, estando “com 2% de casos positivos, um valor muito tranquilizante”.

O responsável admite que os resultados revelam “uma surpresa: a faixa etária com maior número de casos positivos em testes feitos no Centro Hospitalar é entre os 30 e os 39 anos”.

Carlos Andrade no Hospital de Abrantes. Créditos: CMA

Um informação que Carlos Andrade considera importante ter presente uma vez que “tendemos a associar a pandemia a um grupo etário de pessoas idosas e achamos que o grande risco, e o grande alvo de proteção pela fragilidade da idade deve ser o grupo de idades mais avançadas, mas não podemos descurar que independentemente da idade que cada um de nós tenha, a obrigação de medidas de autoproteção e de medidas de contenção é válida para qualquer faixa etária”.

Enquanto responsável por uma instituição de Saúde, Carlos Andrade manifesta preocupação ao “perceber que de uma forma sólida, sem flutuações, a faixa etária que aparecem sempre com mais número de casos positivos é aquela que vem entre os 30 e os 39 anos: as pessoas que mais circulam, com mais vida social, as pessoas que têm a dinâmica de uma família jovem”. Por isso, deixa um alerta e uma reflexão: “quem está dentro dessa faixa deve perceber se o seu comportamento perante a pandemia é o mais correto. É muito importante que esta faixa regredisse no número de novos casos”.

Deu ainda conta de “cinco internamentos de doentes covid-19, o que é um número bastante bom para uma região com 250 mil habitantes” considera.

VEJA O VÍDEO:

Sobre a ‘Alcoolmatic’ trata-se de “mais um equipamento para proteger as pessoas num cenário de pandemia, disse o presidente da Câmara Municipal de Abrantes presente na demonstração.

Manuel Jorge Valamatos lembrou que a empresa tem sede no Tagusvalley, em Alferrarede, e fábrica em Constância “porque na altura” Daniel Pereira, o empresário também presente na iniciativa, “encontrou um pavilhão disponível na zona industrial em Montalvo, que não tínhamos cá”, justificou.

O presidente manifestou-se “muito agradado” com o desenvolvimento económico da empresa, nomeadamente pela solução encontrada em cenário de pandemia, estando a exportar “para vários países do Mundo”.

Resume-se à aplicação da tecnologia da higiene industrial, neste caso, às mãos. A máquina é fabricada em aço inox, com um peso de 25 quilogramas, com um depósito com capacidade para quatro litros de solução hidroalcoólica que dá para duas mil desinfeções; com funcionamento automático através de sensor de proximidade, não é necessário tocar no equipamento, apenas colocar as mãos no dispensador; o produto desinfetante é aplicado através de aspersores de nebulização; e basta ligar a uma ficha monofásica de 230Vac.

A empresa H.JDP ofereceu também duas máquinas ao Município de Abrantes tendo o Município adquirido “outras duas”, disse também Manuel Jorge Valamatos. A ‘Alcoolmatic’ está disponível da Loja de Cidadão, no edifício do atendimento geral da CMA, no edifício Falcão (ambos localizados na Praça Raimundo Soares) e nos SMA – Serviços Municipalizados.

Manuel Jorge Valamatos salientou, por isso, o sentido de responsabilidade social da empresa através da oferta de tais equipamentos a algumas entidades e manifestou-se reconfortado ao ver “este sentido humano para resolver um problema da Humanidade”.

Manuel Valamatos e Daniel Pereira no Hospital de Abrantes. Créditos: CMA

Por seu lado, o empresário Daniel Oliveira, proprietário da H.JDP Alimentar Unipessoal Lda disse que o desenvolvimento deste equipamento deve-se a um trabalho de equipa. “Felizmente tenho uma equipa de excelência e todos juntos tentamos sempre encontrar soluções quando há problemas para ultrapassar”.

Com a redução das encomendas de máquinas e equipamentos para a indústria alimentar em aço inox, a empresa aproveitou a oportunidade e adaptou uma parte da sua unidade de confeção para produzir estas máquina de desinfeção de mãos, solução que lhe permitiu passar ao lado do recurso ao lay-off simplificado proposto pelo Governo no contexto da pandemia de covid-19.

A Alcoolmatic “tem uma bomba, um sensor e uns aspersores. Basta colocar as mãos no equipamento e pulveriza o desinfetante”, explica Daniel. A máquina “tem tido muita procura, quem compra está satisfeito e vai passando a palavra”.

A máquina ‘Alcoolmatic’ no hall de entrada do Hospital de Abrantes. Créditos: CMA

No Centro Hospitalar, a máquina será agora sujeita a testes “e se cumprir os padrões de exigência hospitalar”, segundo Carlos Andrade, novas máquinas serão adquiridas para as três unidades do CHMT. “Estamos numa fase de experiência, se foi validada novamente, passaremos a avaliar quais são as necessidades do CHMT de equipamentos desta natureza”.

Número que ainda não avança, até porque “estamos sempre a mudar circuitos em função da evolução da pandemia e das orientações da Direção-Geral da Saúde para o desconfinamento e o retorno dos hospitais para uma certa normalidade. Não voltaremos a ter a normalidade que tivemos até fevereiro, porque essa pertence a uma história que já lá vai”, assegurou.

Vivemos agora “uma outra normalidade, e nessa outra normalidade procuramos perceber e aprender a viver com ela. De organizar as nossas instituições para viver com essa nova normalidade que ainda não chegou”, acrescentou o administrador do CHMT.

Lembrou ainda que “o desconfinamento é muito recente, estamos a analisar os dados diários que nos chegam da DGS, e em função disso vamos redesenhando e haverá um momento que nunca seremos iguais ao dia anterior” até à estabilização, “e nessa fase vamos tentar perceber quais são os circuitos e em função destes perceber qual a necessidade do equipamento”.

Daniel Pereira é empresário e pode ter salvo a sua empresa com o desenvolvimento da ‘Alcoolmatic’ mas não deixa de falar num espírito de missão e da solidariedade social que as empresas devem ter, sentindo-se satisfeito por poder contribuir, com esta invenção, no combate a esta pandemia.

Manuel Valamatos e Daniel Pereira no Hospital de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *