Abrantes e Benfica vence Cartaxo e assegura presença na final da Taça do Ribatejo. Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

SPORT ABRANTES E BENFICA 1 – SPORT LISBOA E CARTAXO 0
Taça do Ribatejo – meia-final 2ª mão
Estádio Municipal de Abrantes 15-04-2022

A equipa do Sport Abrantes e Benfica venceu o Sport Lisboa e Cartaxo pela vantagem mínima de 1-0, o que, tendo em conta o resultado de 3-3 na primeira mão, assegurou à equipa abrantina a passagem à final da Taça do Ribatejo.

A final é disputada no dia 5 de junho, no Campo Chã das Padeiras, em Santarém, frente ao Fazendense, equipa que afastou o Amiense.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Foi uma tarde bem solarenga, onde o sol e o calor se faziam sentir fortemente, que acolheu os muitos adeptos que preencheram em grande medida o Estádio Municipal de Abrantes para assistir à segunda mão da meia-final entre o Sport Abrantes e Benfica e o Sport Lisboa e Cartaxo. Depois de um primeiro embate que acabou empatado a três bolas, os golos teimaram a aparecer no segundo jogo que ia definir quem marcaria presença na final da Taça do Ribatejo.

A primeira jogada de algum perigo no jogo aconteceu apenas aos 9 minutos, depois de uma bola penteada para o centro da área, sendo que Parreira não conseguiu impor-se, pelo que o guarda-redes segurou a bola.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Cerca de cinco minutos depois o jogador abrantino Zé Pedro conseguiu ganhar a bola na linha e levá-la até ao fundo, local a partir de onde colocou a bola rasteira para Parreira, o qual no entanto não conseguiu concretizar o remate.

A primeira vez que o Cartaxo conseguiu fazer subir um arrepio pela espinha dos adeptos abrantinos foi já depois de um quarto de hora de jogo, através de um livre bombeado para dentro da área, onde o guarda-redes Canais, quis socar a bola – quando parecia que a podia ter agarrado – resvalando a mesma na luva, o que poderia ter complicado a sua vida. A bola, no entanto, foi para um lado onde não estavam jogadores do Cartaxo, sendo que uma rápida resposta do guarda-redes permitiu-lhe agarrar a bola a dois tempos, sem complicações de maior.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Perto dos 20 minutos de jogo, Parreira, jogador abrantino que mostrou sempre muita raça durante o jogo, foi chamado a bater um livre descaído para o lado direito, o qual no entanto saiu ligeiramente por cima. Pouco depois foi Benavente, jogador do Sport Lisboa e Cartaxo a ensaiar um remate na ressaca, o qual, no entanto, passou longe e sem perigo para a baliza do Abrantes.

A entrar na meia hora de jogo, a equipa do Cartaxo levou a bola até à área da equipa da casa através de um cruzamento para o centro da área à procura da cabeça do nº22 cartaxense, mas Jorge não conseguiu aplicar força suficiente no cabeceamento pelo que a bola acabou sem problemas nas mãos do guarda-redes de Abrantes.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Benavente, jogador do Cartaxo, ensaiou ainda novo remate após lhe chegar rasteira aos pés depois de um ressalto, mas a bola passou muito ao lado.

Naquele que poderia ser um lance de grande perigo, com uma bola a ser colocada alta para as costas da defensiva do Cartaxo, esta não chegou a concretizar-se porque Miguel Séninho, que ia já isolado para a baliza, foi travado pelo levantar da bandeirola do fiscal de linha por fora de jogo.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Marcelo, o camisola número 10 do Sport Lisboa e Cartaxo, e que se mostrou em grande medida como o jogador mais perigoso da equipa visitante, encetou uma corrida pelo lado esquerdo, correu mais que o adversário e colocou a bola rasteira para o poste contrário. No entanto, “puxou” demais o passe e Manuel Vítor já não conseguiu concretizar da melhor maneira, batendo a bola na malha lateral.

Chegou assim o intervalo, sem nenhuma das equipas a conseguir sobrepor-se verdadeiramente à outra, naquela que foi uma primeira parte de muita luta e de estratégia, sem espaço para grandes notas artísticas.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Já com a segunda parte da partida em andamento, o cartaxense Marcelo, após disputar uma bola à entrada da sua área, levou com um pontapé na cara, o que o deixou momentaneamente em dificuldades, recuperando depois e voltando ao jogo.

Por momentos, a partida parecia mais animada naquela que era a sua segunda parte. Aos 53 minutos, o jogador abrantino Pedro Damas viu ser-lhe mostrada a cartolina amarela após ter agarrado um jogador do Cartaxo que partia para o contra-ataque. A equipa visitante conseguiu depois chegar até à baliza adversária através de um cabeceamento de Edy, mas sem grande eficácia, passando a bola muito por cima.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

O primeiro e único golo da partida, a favor da equipa do Sport Abrantes e Benfica, chegou através da marcação de uma falta entre a grande área e o meio-campo, após um cruzamento de Miguel Séninho, ao qual Rui Sousa respondeu da melhor maneira.

O médio foi à procura da bola quase até à entrada da área e penteou-a, passando o esférico por entre a multidão que estava dentro da área, e entrando no lado contrário da baliza, face a um guarda-redes cartaxense que ficou sem reação.

Um golo de Rui Sousa carimbou a passagem do Abrantes e Benfica à final da Taça do Ribatejo. Foto: David Belém Pereira/mediotejo.net

Marcelo continuava a fazer das suas, pelo que fez um grande passe a isolar Gilson, o qual parecia ir isolado, mas que viu o grande esforço de um defesa abrantino impedi-lo de fazer o remate da melhor maneira. A bola acabou inclusive por bater no jogador cartaxense, dando assim pontapé de baliza para a equipa da casa.

A equipa que se deslocou a partir do Cartaxo corria atrás do prejuízo e causou novamente perigo, desta vez por meio de tabelinhas, tendo a bola sido depois colocada de forma a isolar Jorge, o qual rematou em força mas não de uma forma muito enquadrada, indo o esférico embater na malha lateral esquerda.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Parreira, após receber a bola na linha direita, conseguiu fintar e tirar um adversário do caminho, mas foi travado em falta, perto da quina direita da área. Chamado a cobrar o lance de bola parada, quando o relógio marcava 67 minutos, Rui Sousa ensaiou um belo cruzamento, e José Pedro esteve perto de colocar a sua equipa a ganhar por duas bolas, mas o cabeceamento passou a rasar a parte inferior do poste direito.

Após uma bola cruzada de forma longa pelo Cartaxo, para o segundo poste, Canais foi obrigado a um grande esforço, tendo conseguido sacudir a bola com a ponta das luvas – já pressentindo atacantes cartaxenses atrás de si – completando depois a intervenção a dois tempos.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

O jogo entrou numa fase em que o Cartaxo tentava marcar um golo que igualasse a eliminatória, algumas vezes jogando mais com o coração do que com a cabeça, e, por outro lado, a equipa da casa jogava com o tempo, através de oportunas substituições e alguns lances de lesão por parte dos jogadores de Abrantes que requeriam ajuda médica que exasperavam a equipa visitante.

Mas foi a equipa abrantina a criar de novo perigo. Após uma grande bola colocada para Miguel Catarino no lado direito, rodando-se assim a orientação do jogo, o jogador abrantino recebeu e cruzou para o lado contrário, de onde parecia que ia sair um remate de primeira, o qual não chegou a sair. No ressalto, a bola acabou por ser enviada para a baliza, através de um cabeceamento “frouxo”, que acabou calmamente nas mãos do guarda-redes.

Fosse em jogo corrido, através da conversão de bolas paradas, ou lançamentos laterais, a equipa de Cartaxo ia colocando, sempre que possível, bolas para dentro da área. No entanto, não conseguia criar efetivamente perigo para a baliza à guarda de Canais.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

O tempo ia-se esgotando para a equipa visitante, que queria alcançar a igualdade, e quando o árbitro assistente mostrou que seriam oito os minutos de compensação, a massa associativa abrantina, presente em grande número no Estádio Municipal, fez-se ouvir através de estridentes assobios.

Os jogadores do Abrantes ansiavam ardentemente pelo fim do jogo, e foram aguentando as investidas do Cartaxo que procurava a igualdade no marcador e uma chance para marcar presença na tão ambicionada final da Taça do Ribatejo, competição que já conquistou por duas vezes.

A sua derradeira oportunidade aconteceu já mesmo ao cair do pano, com uma bola rasteira a passar ligeiramente ao lado do poste direito da equipa abrantina. Calafrio sentido pelos adeptos abrantinos que não se chegou a concretizar.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Já perto dos 100 minutos de jogo, o qual estava mesmo na iminência de terminar, o Sport Lisboa e Cartaxo fez subir praticamente toda a equipa para dentro da área, inclusive o seu guarda-redes. No seguimento do lance, houve uma grande confusão, com o guardião abrantino, Canais, a atirar-se para o chão e a agarrar a bola, evitando assim um dissabor aos adeptos da casa.

Soado o apito final, foi tempo da euforia e da festa dos adeptos e jogadores abrantinos. A equipa abrantina venceu o Cartaxo de forma justa, num jogo de grandes emoções, e segue assim a fazer história, marcando presença na final da Taça do Ribatejo – competição que nunca conquistou – frente ao Fazendense.

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

Ficha de Jogo:

SPORT ABRANTES E BENFICA
Canais, Pedro Miguel, Manuel Vítor, Miguel Catarino, Rui Sousa, Diogo Mateus, Francisco Salgueiro, Pedro Damas, Miguel xx, Parreira, Zé Pedro
Suplentes: João Rosa, João Nogueira, Elisio, Joãozito, Pedro Marchão, Carola, João Luís
Treinador: Séninho

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

SPORT LISBOA E CARTAXO
Ricard, Cajarana, Edy, Rui Simões, Chico, Rui Caniço, Marcelo, Zé Maria, Benavente, Gonçalo Brazuna,  Jorge
Suplentes: Bernardo, Diogo Martins, Gilson, Daniel, Mauro, Tavares, Quarente
Treinador: Mário Ruas

Sport Lisboa e Cartaxo.

GOLOS: Rui Sousa [1]

Equipa de Arbitragem: Pedro Serra, Ricardo Mendes, Miguel Rodrigues

Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

No final fomos ouvir os responsáveis pelas equipas.

ÁUDIO | SÉNINHO (Abrantes e Benfica):

Paulo Seninho, treinador do Abrantes e Benfica. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | MARCO RUAS (Cartaxo)

Fotogaleria: David Belém Pereira/mediotejo.net

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.