O Sport Abrantes e Benfica está a organizar uma excursão para levar adeptos à final da Taça Ribatejo. Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

O Sport Abrantes e Benfica (SAB) está a aceitar inscrições para os adeptos que se queiram deslocar em autocarro para apoiar a equipa na final da Taça do Ribatejo, jogo que se vai disputar no dia 5 de junho, às 11h00, no Campo Chã das Padeiras, em Santarém, frente ao Fazendense.

A concentração está agendada para as 08:40 de domingo, dia 5 de junho, junto ao Estádio Municipal de Abrantes, e o preço, grátis para os atletas do clube, varia entre os 10€, incluindo bilhete e transporte, os 15 euros, incluindo bilhete e cascol, e os 30 euros, com bilhete e camisola oficial alusiva a esta jornada histórica para o clube de Abrantes. Os bilhetes estão à venda no bar do Estádio de segunda a sexta-feira, entre as 18h00 e as 20h00. Para inscrições ou mais informações os contactos telefónicos são: 966167763 (Helder Assis), 936691486 (João Macieira), e/ou 926664450 (Miguel Cadete).

O presidente da direção do centenário clube abrantino, Paulo Neto, destacou ao mediotejo.net a importância do apoio dos adeptos para coroar com sucesso este momento desportivo para o SAB, que pode conquistar pela primeira vez a Taça do Ribatejo para a sua sala de troféus. A vitória, notou, confere ainda o direito a participar na Taça de Portugal na próxima época.

ÁUDIO | PAULO NETO, PRESIDENTE DA DIREÇÃO DO SAB:

A equipa do Sport Abrantes e Benfica venceu nas meias finais da competição o Sport Lisboa e Cartaxo pela vantagem mínima de 1-0, o que, tendo em conta o resultado de 3-3 na primeira mão, assegurou à equipa abrantina a histórica passagem à final da Taça do Ribatejo.

Sport Abrantes e Benfica (SAB) marca presença na final da Taça do Ribatejo pela primeira vez na sua história. Foto: David Belém Pereira / mediotejo.net

A final é disputada no dia 5 de junho, no Campo Chã das Padeiras, em Santarém, às 11h00, frente ao Fazendense, equipa que afastou o Amiense nas meias finais da prova rainha da Associação de Futebol de Santarém.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.