A produtora ADESIVA, em parceria com o realizador David Alves, está a produzir uma curta-metragem intitulada “Ponto de Fuga”.

A produtora ADESIVA, em parceria com o realizador abrantino David Alves, está a produzir uma curta-metragem intitulada “Ponto de Fuga”. Para o financiamento do projeto organizou-se uma campanha de crowdfunding que só será financiada se angariar no mínimo cinco mil euros até dia 10 de fevereiro. O valor angariado através desta campanha destina-se à remuneração do elenco e alojamento de toda a equipa técnica durante os dias de rodagem em Abrantes.

A produtora ADESIVA, em parceria com o realizador David Alves, está a produzir uma curta-metragem intitulada “Ponto de Fuga”, que irá ter vários locais de Abrantes como cenário.

“Ponto de Fuga” é um projeto cinematográfico que aborda as ligações familiares ao lado místico da natureza. O foco principal é a relação entre uma neta e os seus avós. O regresso da neta – e o que ela encontra – procura refletir sobre o que sentimos quando regressamos a locais onde temos raízes.

Conta então a história do regresso de Anita à casa dos avós, em Abrantes, depois da morte da avó. O retrato de uma família desfeita que vai encontrando respostas nas conversas cúmplices de Anita com o avô Manuel e nas páginas do velho diário da avó Olívia.

Sendo o realizador um abrantino, foi eleita Abrantes como o coração desta história. Desta forma, o filme terá como plano de fundo o Rio Tejo, a Oliveira do Mouchão (oliveira com cerca de 3350 anos) e outras paisagens naturais que serão transportadas para o ecrã.

Oliveira milenar do Mouchão, em Mouriscas, é a árvore mais antiga de Portugal. Foto: CMA

É nesse sentido que a produtora procurou apoio financeiro para a realização deste projeto cinematográfico que acredita ser “uma ótima divulgação do cinema português e uma promoção ao turismo do centro de Portugal”.

Como objetivo principal, produtora e realizador pretendem participar em inúmeros festivais de cinema de renome nacionais e internacionais tais como Festival de Cannes, de Berlim, de Toronto, de Veneza e muitos mais ao longo de 2022 e posteriormente em exibições em várias plataformas e salas de cinema, incluindo possivelmente canais televisivos.

Uma foram de promoção “do nosso país e da nossa cultura, bem como dos nossos apoiantes e patrocinadores, além-fronteiras”, consideram.

Na calendarização, a ideia passa por, após a angariação de fundos, rodar o filme em fevereiro com pós produção em março de 2022.

Os interessados em contribuir para a realização deste projeto cinematográfico podem encontrar o crowdfunding no seguinte link: https://ppl.pt/pontodefuga 

A curta-metragem “Ponto de Fuga” vai receber um apoio do município de Abrantes valor de 1.410,33 euros, dos quais, 1.040 euros serão para assegurar o alojamento da equipa técnica e atores e os restantes 370,33 euros para o transporte a efetuar em autocarro municipal. Este apoio mereceu a aprovação unânime do Executivo Municipal na reunião de Câmara realizada no dia 2 de novembro de 2021, por se considerar que “a realização desta curta-metragem será promotora do concelho de Abrantes”.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *