Biblioteca Municipal António Botto, Abrantes. Créditos: CMA

A exposição “Evelina Oliveira, colecionadora de histórias”, o espetáculo “Poetas com Voz” e o encontro com a apresentadora de televisão Fátima Lopes são algumas das atividades que a Biblioteca Municipal promove para assinalar o seu 28º aniversário.

A Biblioteca Municipal António Botto, em Abrantes, comemorou o seu 28º aniversário na sexta-feira, 26 novembro, começando por receber a exposição “Evelina Oliveira, colecionadora de histórias”, que mostra ilustrações originais de alguns livros publicados desde 2004. A ilustradora, natural de Abrantes, expõe ainda peças em cerâmica, marionetas e outros objetos intervencionados com ilustração, “indutores de histórias por inventar”.

Evelina Pereira, mestre em Ilustração Artística pela Universidade de Évora, vive e trabalha no Porto, dando regularmente formação em workshops de pintura, desenho, técnicas de impressão artesanais e ilustração artística em bibliotecas, escolas e museus.

A exposição “Evelina Oliveira, colecionadora de histórias” foi inaugurada no dia em que a Biblioteca assinalou os seus 28 anos de vida, pelas 18h00.

Nesse mesmo dia, 26 de novembro, pelas 21h30, “Poetas com Voz” é o nome do espetáculo com Luís Portugal, vocalista dos Jafumega, acompanhado por Rui Vilhena (Vozes da Rádio) na guitarra e voz, e por Ricardo Coelho, na percussão e vibrafone, que se realizou na Biblioteca Municipal António Botto. Uma viagem pela língua portuguesa, através de vários poetas cantados como José Afonso, Ary dos Santos, José Luís Tinoco, Carlos Tê, José Soares Martins, entre outros.

A Biblioteca será palco ainda, no dia 3 de dezembro, pelas 21h30, do encontro com a apresentadora de televisão Fátima Lopes que irá apresentar o seu mais recente livro “Encontrei o amor onde menos esperava”. A apresentação do livro estará a cargo de Patrícia Matos, ex-jornalista da TVI, que cresceu na vila de Tramagal, concelho de Abrantes.

A Biblioteca Municipal António Botto foi inaugurada a 26 de novembro de 1993, numa das alas do Convento de São Domingos, então requalificada com projeto do arquiteto Duarte Castel-Branco, tendo sido criada de acordo com o programa da Rede Nacional de Leitura Pública.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.