A XIII edição das Jornadas de História Local vai decorrer em Abrantes, na Biblioteca Municipal, na sexta-feira, dia 4 de dezembro, às 10:00, com o lançamento de uma nova edição da revista de História Local “Zahara”.

A programação da iniciativa, que vai decorrer durante todo o dia, até cerca das 18:00, inclui a abordagem de temas como os ‘Percursos da História Local’, o ‘Projeto de Musealização do antigo lagar dos Paulinos’, em Sardoal, ‘Arquivo Municipal Eduardo Campos de Abrantes e o Repositório de Memória e Memórias’, a ‘Iniciação à Genealogia’, ‘O arquivo no paradigma digital’ (as novas tecnologias e suas possibilidades), e a mineração romana, entre outros.

A iniciativa é organizada pelo Centro de Estudos de História Local (CEHLA) e a Associação de Desenvolvimento Cultural Palha de Abrantes, que assinala em 2015 os 20 anos de atividade.

PROGRAMA

10h00 Abertura dos trabalhos

10h15 Percursos da História Local Portuguesa, por Margarida Sobral Neto, do Centro de Estudos de História Local e Regional Salvador Dias Arnaut e da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

11h00 Intervalo

11h15 Projeto de Musealização do antigo lagar dos Paulinos – Sardoal, por Maria Jorge Rocha (Conservadora Restauradora) e Tiago Laranjeira (Arquiteto)

11h45 Instituto Terra e Memória – Uma plataforma de investigação para o século XXI, por Sara Cura, do Instituto Terra e Memória / Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado do Vale do Tejo

12h15 Lançamento do n.º 26 da Revista de História Local Zahara

12h45 Intervalo para almoço

14h30 Arquivo Municipal de Constância: passos de um percurso em (re)construção, por Rui Duarte, do Arquivo Municipal de Constância

14h50 Arquivo Municipal Eduardo Campos – Abrantes: Repositório de Memória e Memórias, por António José Morgado, do Arquivo Municipal Eduardo Campos

15h15 Iniciação à Genealogia, por António da Graça Pereira, investigador na área da genealogia

15h45 O arquivo no paradigma digital (as novas tecnologias e suas possibilidades) e o Museu Aurantes, por Alexandre Carrança e José Bandos, da Cooperativa Persona

16h15 Intervalo

16h30 Uma tese com um tema difícil: a mineração romana, por Carlos Batata, Arqueólogo

17h00 Encerramento

(Participação Gratuita / Não necessita de inscrição)

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *