Durante o ano de 2018 o centro histórico de Abrantes vai contar com mais intervenções no âmbito da estratégia de regeneração urbana da Câmara Municipal (CM). Entre os investimentos adiantados na reunião de Executivo camarário, esta terça-feira 9 de janeiro, contam-se, além de coberturas e passadeiras pedonais, cabos aéreos em sistema de calha e pontos de abastecimento de eletricidade que devem estar prontos para servir a instalação de colunas  de som e iluminação no próximo Natal.

Trata-se de um investimento assente na regeneração urbana do centro histórico de Abrantes. A obra, numa primeira fase já concluída, iniciou com “a instalação de telas, a cobertura de algumas ruas pedonais, sem trânsito” no sentido “de valorizar essas ruas e os espaços disponíveis de comércio e serviços” explicou a presidente Maria do Céu Albuquerque.

A primeira fase inclui também a “reabilitação dos pavimentos tornando-os mais cómodos e mais acessíveis para todos, independentemente da idade, sexo ou condição física”. Maria do Céu Albuquerque referia-se às passadeiras “nomeadamente nas ruas de seixo rolado que ofereciam grande dificuldade para quem” circulava a pé.

Esta primeira fase ficou concluída nas ruas selecionadas, querendo a CM reabilitar mais ruas numa segunda fase “sejam elas pedonais ou também transitáveis” indicou a presidente “cobrindo as restantes ruas sem trânsito no centro histórico”.

 

A presidente avançou ainda que, o mesmo tempo, o Município vai “chamar os privados, as telecomunicações e a EDP, para colocar os cabos aéreos num sistema de calha nas fachadas dos edifícios, criando condições visuais mais atrativas”. Durante essa intervenção serão deixados “pontos de abastecimento de eletricidade, para instalar colunas com som para o exterior e para a iluminação de Natal”.

Falando de um maior investimento inicial, Maria do Céu Albuquerque justificou-o com um posterior “mais diminuto, porque assim a própria Câmara pode adquirir os equipamentos necessários para fazer a decoração natalícia”. Sem referir ainda o montante do mesmo, a presidente sublinhou “o grande investimento na qualidade de vida das pessoas”.

A presidente recordou que a estratégia do Município para a regeneração urbana assenta em 3 pilares: “a residência, o condomínio residencial que queremos de grande qualidade para proporcionar grandes condições” para quem escolha viver no centro histórico. “Um centro comercial a céu aberto, aproveitando o comércio tradicional, também para os prestadores de serviço e uma estratégia assente no turismo cultural, tendo por base o património existente”.

As obras deverão estar prontas a tempo do próximo Natal “dependendo da capacidade financeira e técnica” para a execução dos trabalhos mas “gostávamos muito de chegar ao Natal de 2018 com mais alguma coisa feita” em relação às fases subsequentes, concluiu.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *