Assembleia Municipal de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

O inicio deste ano letivo foi tema abordado na última sessão de Assembleia Municipal de Abrantes. A vereadora Celeste Simão deu conta do dispositivo montado e de um aumento do número de alunos e de somarem um total de 4.353, com mais uma turma do pré-escolar inscrita no Pego, outra na Escola Maria Lucília Moita, em Alferrarede, e uma outra no Tramagal.

A vereadora da Câmara Municipal de Abrantes responsável pelo pelouro da Educação, Celeste Simão, identificou três eixos prioritários de intervenção constantes do projeto Educativo Municipal: apoio às famílias, comunidade educativa e escolas. Indicando que o número de alunos aumentou no concelho a vereadora deu conta de serem 4353 o total de alunos, com mais uma turma do pré-escolar no Pego, outra na Escola Maria Lucília Moita e outra no Tramagal.

Em 31 de agosto de 2020 a atribuição de auxílios económicos para os alunos do 1º ciclo do ensino básico e jardins de infância (refeições e material escolar) foi contabilizado na ordem dos 2856,00 euros, havendo uma estimativa de custos para as Atividades de Animação e Apoio à Família no pré-escolar na ordem dos 129.236,00 euros e uma estimativa de custos no valor de 105.236,00 euros para as Atividades de Enriquecimento Curricular.

Explicou Celeste Simão que o Município no âmbito das suas competências assegura o fornecimento de refeições e que através de concurso público o serviço para fornecimento de refeições às escolas foi adjudicado à empresa ICA – Industria e Comércio Alimentar SA., sendo representante do consórcio ICA e NORDIGAL – Industria de Transformação Alimentar.

Assembleia Municipal de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

O custo com as refeições escolares ronda os 778.639,86 euros. Prevê-se que sejam fornecidas cerca de 1300 refeições diárias aos alunos do pré-escolar e 1º ciclo do concelho. E cerca de 1040 refeições diária aos alunos do 2º e 3º e secundário do concelho. Com a nutricionista que monitoriza as refeições escolares em todas as escolas do concelho de Abrantes a Câmara gastará cerca de 9 mil euros.

Quanto aos transportes escolares, gratuitos até ao final do 3º ciclo do ensino básico, para os estudantes menores e estudantes com necessidades educativas especiais que frequentem o ensino secundário (até aos 18 anos), a Câmara estima gastar neste ano letivo 681.744,00 euros.

Quanto ao acompanhamento das atividades desenvolvidas no âmbito do Projeto Educativo Municipal a estimativa de custos ronda os 20 mil euros, com bolsas de estudo (ensino superior) sendo 42 bolsas por ano, o Município gastará cerca de 42.204,00 euros. Os prémios de mérito (ano letivo 2018/2019) a serem entregues a 16 de outubro na Escola Dr. Solano de Abreu, o investimento é de 6.250,00 euros. Já com o programa de Acesso Universal às Competências Digitais – CODER DOJO, nas escolas do concelho para o 3º e 4º ano de escolaridade, o Município de Abrantes gasta 30 mil euros.

Inserido na área de gestão do Parque Escolar o Município estima gastar 2,317.058,47 euros com recursos humanos. Contabilizando um investimento total na área da Educação de 4.728.763,33.

Assembleia Municipal de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.