Tramagueira (Tamarix africana) –  A Tamarix africana, conhecida vulgarmente como tamariz, tamarga, tramaga, tamargueira e tramagueira, é uma árvore ou arbusto da família das tamaricáceas, nativo do Norte de África e sudoeste da Europa.

As folhas assemelham-se a escamas, de 1 a 5 mm de comprimento, sobrepondo-se umas às outras ao longo do ramo. Apresenta flores e sementes pequenas, com pelos no ápice.

D.Leonor de Avis, a quem a lenda atribui a origem do topónimo “Tramagal”.

Bastante abundante na zona do Tramagal diz a tradição verbal que lhe terá dado o nome.
Consultando a Wikipédia podemos ler:

Conta a lenda que o nome “Tramagal” tem origem numa planta autóctone da região – a tramaga -, que seria muito comum na povoação quando, no século XV, por lá passou a Rainha D. Leonor de Portugal, esposa do “príncipe perfeito” D. João II, quando se dirigia para uma festa, passando pelo Ribatejo. Ao ver um tão grande campo de tramagas, teria exclamado “Mas que grande Tramagal!”.

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *