Macho de Lucanus barbarossa. Foto de Augusta Barreira, em http://www.vacaloura.pt/

A Trinta Por Uma Linha – Associação Sociocultural e Ambiental com área de atuação na região do Médio Tejo, é embaixadora de um projeto de ciência cidadã intitulado VACALOURA.PT, desde o ano de 2020, em conjunto com várias entidades a nível nacional.

A segunda edição do fim de semana da vaca-ruiva – organizado pelo projeto VACALOURA.PT e dedicado à vaca-ruiva (Lucanus barbarossa), um escaravelho pouco conhecido – decorre nos próximos dias 15, 16 e 17 de julho com seis atividades programadas em quatro distritos, pelo que a associação 30POR1LINHA, se alia à iniciativa com uma atividade no sábado (16 julho), que decorre junto à Ponte de Peniche, em Tomar, entre as 19h30 e as 22h30.

Este projeto de ciência cidadã, coordenado pela Associação Bioliving em parceria com a Unidade de Vida Selvagem do Departamento de Biologia, em parceria com a Unidade de Vida Selvagem do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro, Sociedade Portuguesa de Entomologia e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, tem como objetivo “compilar e organizar a informação enviada pelos cidadãos sobre a distribuição e estados das populações dos escaravelhos da família Lucanidae em Portugal”.

Com esta iniciativa pretende-se averiguar o estado de conservação das espécies e a sua área de distribuição, pelo que este fim de semana tem como intuito “dar a conhecer a vaca-ruiva e os seus habitats aos cidadãos portugueses”.
 
“O projeto tem uma forte componente de educação ambiental, que pretende disseminar e sensibilizar para a importância da madeira morta nos ecossistemas florestais, da biodiversidade associada a estes habitats e de como todos juntos podemos ajudar a conservar estes ecossistemas”, lê-se em comunicado de imprensa.

As inscrições podem ser feitas AQUI.

Este é um projeto de ciência cidadã, conservação da natureza e educação ambiental que visa adquirir dados sobre a distribuição e estado de conservação das espécies de escaravelhos da família Lucanidae em Portugal. Além disso, o projeto pretende informar os cidadãos sobre a importância destas espécies e dos seus habitats.

No caso da 30POR1LINHA, o foco tem estado na vaca-ruiva (Lucanus barbarossa), uma espécie de extrema importância para o ambiente pois, à semelhança das espécies da mesma família, é um organismo decompositor de madeira morta e tem, por isso, um papel fundamental na natureza, fazendo a reciclagem dos nutrientes do solo, promovendo assim a regeneração sustentável da floresta.

A nível científico conhece-se pouco sobre a vaca-ruiva sendo a sua área de ocorrência a nível mundial restringida a Portugal, Espanha, sul de França e Norte de África. Em Portugal, a distribuição conhecida atual vai de Bragança até à península de Setúbal, sendo a região centro onde parece ser mais abundante. Esta espécie encontra-se associada a zonas de carvalho-cerquinho, carvalho-negral e azinheira.

Os registos da espécie a nível nacional estão a ser feitos no BioDiversity4All e na App INaturalist, onde é necessário efetuar registo na plataforma.

Cada registo contribui para aumentar o conhecimento desta espécie pouco conhecida e compreender o seu estado de conservação. Em anos anteriores o período de avistamento da espécie tem sido entre os meses de julho a setembro, sendo esta a época propícia à sua observação.

Visto que a espécie apresenta hábitos noturnos e é atraída pela luz dos candeeiros de iluminação pública, é provável que elementos da 30POR1LINHA durante os próximos meses sejam vistos durante o período noturno nas freguesias do concelho, identificados com colete refletor ou colete da associação e utilizando frontais ou lanternas na procura da espécie.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.