XIII Mostra de Teatro sobe ao palco com espetáculos em Bemposta, Tramagal e Abrantes. Foto: DR

Este sábado a mostra leva o teatro a duas freguesias, indo mais longe e além da sede de concelho, cumprindo com uma iniciativa que arrancou em 2005 e que conta já com treze edições nos 24 anos de existência deste grupo de teatro abrantino.

São Fonseca, presidente do Grupo de Teatro Palha de Abrantes há um ano, fala nesta descentralização da cultura que se foi assumindo com a dinamização da iniciativa, pois além da sede em Alferrarede, na zona urbana, o GTPA também leva as peças de teatro às freguesias do concelho.

“A população é menos jovem, não têm a mesma facilidade de se deslocarem. E muitos já não conduzem, não têm carro, a família nem sempre está disponível para auxiliar na deslocação das pessoas. As nossas freguesias têm que ser animadas também e vamos nós às freguesias”, refere em declarações ao mediotejo.net, dando conta da programação para a edição de 2022 da Mostra de Teatro.

Em Tramagal, na sede da Sociedade Artística Tramagalense, pelas 21h30, estará em cena a peça “Bú ou A Pragmática do Sonho”, pelo Te-Ato – Grupo de Teatro de Leiria. Com texto de Luís Mourão e interpretação de José Luís Coelho e João Moital, o espetáculo conta com encenação de João Lázaro e música de Miguel Samarrão.

A peça de teatro é sobre relações humanas e o modo como o outro nos muda e mudamos com o outro. Faz-se dos encontros sucessivos de João e José, dois vizinhos há uma eternidade unidos por uma amizade cúmplice feita de acordos e discordâncias. João é o leitor de jornais, irónico, crítico e sonhador, enquanto José era eletricista desempregado e agora é canalizador desempregado e a seguir será mergulhador de profundidade.

Na sede da Sociedade Musical e Recreativa de Bemposta, à mesma hora, subirão ao palco os artistas do Teatro Projéctor – Companhia de Teatro do Barreiro.

Com “De Lá para Aqui”, baseado em textos de Gil Vicente, nomeadamente na farsa de “O Velho da Horta” e que se trata da 41ª produção teatral desta companhia. A peça foi estreada em palco na inauguração do novo polo cultural do Teatro Projéctor.

Antes do cair do pano desta mostra, subirão ao palmo membros do Grupo de Teatro Palha de Abrantes para uma estreia absoluta da nova peça “Nunca Nada de Ninguém” que estará em cena, e que se baseia na obra de Luísa Costa Gomes.

A estreia acontece pelas 21h30 na sede do GTPA, na antiga Escola Primária de Alferrarede (junto ao McDonald’s).

Com encenação de Helena Bandos, contará em palco com Catarina Grácio, São Fonseca, Joana Henriques, Sandra Gaspar e Cristina Porto. Na voz off estarão André Leal, Rui Esteves, Vítor Mendes e Pedro Filipe. Ilda Marques assegurará o guarda roupa.

“Nunca Nada de Ninguém, livro de Luísa Costa Gomes, é um texto extraordinário que atrai e motiva quem gosta de ler e fazer teatro. A paranoia, o vazio, o quotidiano e as psicoses de cada um são materializados no seu livro numa excelente sátira para nos rirmos de nós próprios, o que resulta numa crítica inteligente aos costumes e à sociedade portuguesa”, refere a sinopse desta nova peça do GTPA.

O Grupo de Teatro abrantino nunca parou a sua atividade, e as participações e peças em cena têm tido sala cheia, com a agenda a ser preenchida com parcerias dentro e fora do concelho de Abrantes e convites por outros grupos de teatro ou companhias.

Este ano está a terminar mas há muitas iniciativas no horizonte e já projetadas para o futuro, seguindo-se no dia 17 de dezembro a leitura encenada “Todos os Rapazes são Gatos” na Festa de Natal promovida pela Liga de Ortiga, em Mação.

Para 2023, em janeiro, a peça “O Aniversário” continuará a fazer rir a plateia, seguindo para Martinchel e Casais de Revelhos, em janeiro e fevereiro.

“Nada de Ninguém” vai estar em Martinchel também em fevereiro e em abril deverá estar em cena em Casais de Revelhos, passando depois por Souto.

Na calha está uma nova peça infanto-juvenil e duas novas peças para adultos, “Adivinha Quem Veio para Morrer” e “Retrato da Mulher Árabe que Olha o Mar”.

A ser preparado está também um novo projeto, “um musical da autoria de um dos membros do GTPA, que é compositor e músico, ainda não se sabe o nome e detalhes. Será algo original e inédito”, confirma São Fonseca, presidente do GTPA, que tomou posse em novembro de 2021.

O balanço que faz destes últimos anos é positivo, e o grupo está bem e recomenda-se, no ativo e sempre a preparar novidades e a captar novos membros.

“A captação por vezes somos nós que procuramos, outras vezes são as pessoas que vêm ter connosco. Vamos ter mais pessoas brevemente. Os jovens têm-nos procurado, ou através dos pais ou mesmo as crianças e jovens, andam muito motivados com o teatro, querem coisas diferentes. E o teatro é uma arte diferente”, refere, dando conta que o grupo conta atualmente com 18 jovens.

Em termos de adultos houve baixas, mas agora “está bem composto”, com três captações feitas há pouco tempo, esperando-se a chegada de de 6 a 8 novos membros para breve.

Assim, o grupo irá atingir os cerca de 50 membros, uma boa média, “ainda para mais para o Interior, numa cidade pequena, um grupo que totalize 50 membros entre jovens e menos jovens, acho que é muito bom”, assume.

“Sempre tivemos muito boa adesão, tanto na antiga sede como na atual. Temos tido sempre sala cheia. Notamos é a presença de caras conhecidas, que vão sempre, e novas pessoas que estão a aparecer mais recentemente. Há sempre um público fixo, independentemente da peça de teatro em cena. Mas também se nota a escolha mediante o tema. Mas a sala tem estado sempre cheia”, confessa, agradada.

“As estreias são sempre na sede, depois levamos as peças de teatro às freguesias do concelho e a outras cidades, com participações em mostras de teatro e iniciativas para as quais somos convidados”, explica.

Têm sido dias de corropio teatral para o Grupo de Teatro Palha de Abrantes, que têm levado a participações e parcerias, com peças de teatro e espetáculos dentro e fora do concelho, participações em mostras de teatro e a convite de outras entidades, além de participação na gravação de anúncios publicitários e curtas-metragens da ESTA.

A cumprir 24 anos de existência, o GTPA continua com a nobre missão de levar o teatro às pessoas, da comédia ao drama, do clássico ao inédito, marcando compasso na formação dos mais jovens e impulsionando o panorama cultural no concelho de Abrantes.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *