Celebrações do Dia do Concelho em Vila de Rei. Foto: mediotejo.net

A sessão foi presidida por Isabel Damasceno, presidente da CCDR Centro (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro), que deixou uma palavra de incentivo e reconhecimento à autarquia pelo trabalho que tem feito neste pequeno concelho do Interior do país, ciente dos acrescidos desafios que este tem de ultrapassar com vista ao seu desenvolvimento socioeconómico e para se tornar um território atrativo e que ofereça boas condições de vida aos seus habitantes, ao mesmo tempo que possa ser um município competitivo e que angarie investimentos e empresas.

Disse sair “com coração cheio e composto” por ser muito “gratificante” estar naquela sessão tendo como som de fundo “a agitação de bebés e meninos e meninas a manifestarem a sua satisfação ou insatisfação”.

Foto: mediotejo.net

“É perceber que estamos num concelho, que sabemos todos, tem muitas preocupações e contrariedades, são concelhos do Interior, que sofreram um êxodo de população muito significativo nas últimas décadas, que têm dificuldades enormes para vingar qualquer projeto, muito maiores que qualquer concelho situado no litoral. São concelhos que têm permanentemente que lutar contra contrariedades que lhes surgem no dia-a-dia e qualquer coisa que se faça para fixar pessoas, para trazer pessoas para cá, para lhes dar boas condições de vida, para que sintam que vale a pena viver em Vila de Rei, é realmente de louvar”, disse, louvando a iniciativa do Município “de gratificar os que aqui ficam e dar condições aos que cá estudam, de dar condições aos que daqui saem mas que querem continuar ligados à sua terra, de premiar quem aqui quer ter filhos, porque podem ter a certeza que dificilmente haverá locais no país onde se viva melhor que em Vila de Rei”, afirmou.

Mostrou disponibilidade para apoiar o Município para “lutar para que continue a ser um polo de atração, para que sejam criados postos de trabalho, para que sejam criadas condições para que cada vez mais investidores venham fazer os seus investimentos, vamos criar condições para que quem aqui vive se sinta bem”.

“Pode contar sempre com a CCDR, pode contar comigo pessoalmente, porque valorizo muito a luta permanente que é a defesa destes territórios. Territórios onde se vive bem, mas onde tudo é mais difícil para conquistar”, concluiu a responsável.

ÁUDIO | Isabel Damasceno, presidente da CCDR Centro

Já o autarca Ricardo Aires lembrou, durante as comemorações dos 737 anos de atribuição do foral de Vila de Rei por D. Dinis, que o município prossegue com um projeto pioneiro para fixar população e combater a desertificação e envelhecimento populacional, agraciando as famílias que optem por ali residir.

Estas medidas representam um investimento total de 87.000,00€ pela autarquia, sendo que 60.500,00€ representam o investimento para atribuição de apoios à fixação da população. Já no âmbito das Bolsas de estudo, o município investiu 26.500,00€.

O edil notou que todos estão de parabéns, por que tudo têm feito para que “haja cada vez mais qualidade de vida para todos os vilarregenses”.

Frisando os projetos municipais e iniciativas, e apesar do corte de mais de 400 mil euros de transferência do Estado por via do Fundo de Equilíbrio Financeiro, referiu que a autarquia tem tentado proteger os munícipes, desde logo com a atribuição de diversos apoios, caso da fatura da água, saneamento e resíduos sólidos urbanos que continua a ser a mais baixa do distrito de Castelo Branco e da CIMT.

“Com os apoios que damos à população, conseguimos que todos continuem, e conseguimos reforçar mais alguns. Para que todos se sintam cada vez melhor na nossa terra”, disse, salientando os apoios na Educação, nos transportes escolares e comunitários, incremento do acesso à internet sem fios em espaços públicos de forma gratuita ou o reforço do apoio à fixação de população.

Ricardo Aires, presidente da CM Vila de Rei. Foto: mediotejo.net
ÁUDIO | Ricardo Aires, presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei

“Sobre o futuro, quero dizer a todos os vilarregenses que se torna necessário que os recursos existentes em todo o nosso concelho sejam aproveitados, estimulados, potenciados, de forma sustentada, procurando melhorar os recursos financeiros ao dispor dos vilarregenses. Melhorando a sua capacidade para fazer face aos encargos e dificuldades dos nossos dias. Tendo estes pressupostos bem presentes, consideramos que se torna cada vez mais necessário aproveitar as enormes potencialidades do concelho no que respeita à floresta mas também à nossa agricultura”, referiu o autarca.

Ricardo Aires referiu-se à rentabilização e escoamento dos excedentes da produção agrícola, por via da Associação Pinhal Maior com o projeto Bio-Berço da Lusitânia.

Quanto à floresta, lembrou a criação das três Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP), tendo sido Vila de Rei dos primeiros municípios do país a apresentar e ver aprovada a proposta de intenção destas AIGP. Duas estão mais avançadas, seguindo-se as conversações e reuniões com proprietários florestais, para depois se submeter as Operações Integradas de Gestão da Paisagem (OIGP).

Sublinhou que se pretende promover a gestão conjunta (em escala) da áreas de minifúndio; a redução do risco de investimento (bióticos e abióticos, ou seja, pragas/doenças e incêndios); aumentar a rentabilidade do território/áreas agroflorestais; reordenar e valorizar a paisagem; promover o desenvolvimento da economia local e a criação de emprego.

Foto: mediotejo.net

Falou na importância do reordenamento do território e alteração da paisagem para que se promovam novas atividades no âmbito do turismo e lazer. Também a proteção da floresta, de pessoas e bens para diminuir o risco de grandes incêndios florestais se reveste de especial importância neste projeto, que pretende travar a propagação rápida das chamas que nos últimos anos, ciclicamente, têm devastado o concelho e os territórios limítrofes.

Frisou ainda que dependerá dos proprietários se as AIGP irão avante ou não. “Na minha opinião as AIGP são a única hipótese para um território com futuro como o nosso”, disse.

Dirigindo-se à presidente da CCDR Centro, Ricardo Aires lembrou a execução do Plano Estratégico de Desenvolvimento Turístico 2030 para o concelho, que pretende definir trajetórias para construir uma estratégia geral de desenvolvimento da atividade turística em todo o concelho, em parceria com os agentes turísticos que foram chamados a participar e contribuir.

Vila de Rei pretende destacar-se por produtos turísticos atrativos e diversificados, inseridos na estratégia regional, e tendo no horizonte a aposta num turismo mais inclusivo.

O presidente de Câmara focou ainda a ampliação da Zona Industrial do Souto, para que “as empresas se possam fixar no nosso concelho, gerando mais postos de trabalho e dinamizando a economia local nos vários setores económicos”, sendo que tem existido “grande procura do parque empresarial” do concelho por investidores que ali querem fixar as suas empresas.

Em obra está naquela zona industrial, o CIES (Centro de Instalação Empresarial do Souto), um novo equipamento, semelhante a um ninho de empresas, que vem dotar aquele parque empresarial de “um espaço com as melhores condições para que novas empresas se possam instalar numa primeira fase”.

Foto: mediotejo.net

Por fim, Ricardo Aires salientou a construção da nova creche municipal, que irá nascer junto ao Jardim-de-infância Municipal em Vila de Rei. “Vai ser uma realidade muito em breve (…) e vai reforçar a oferta existente para as crianças dos zero aos três anos”, notou.

A Educação é indicada como uma das bandeiras do atual executivo municipal, sendo que as crianças são “uma das principais prioridades”, sendo entendimento do edil que “é fulcral dotar o concelho com todas as condições possíveis para assegurar o bem-estar das crianças e para criar e garantir o seu correto desenvolvimento e formação”.

“Vila de Rei é um concelho com vida própria, em que a hospitalidade das pessoas é o elo de ligação de tanta diversidade”, concluiu o presidente do município.

A manhã começou com a sessão ordinária da Assembleia Municipal, no Salão Nobre, após o hastear da bandeira do Município de Vila de Rei e de se ouvir o seu hino.

Seguiu-se, pelas 11h00, a abertura da cerimónia no Auditório Municipal, onde também Paulo Brito, presidente da Assembleia Municipal, fez uma abordagem à atual conjuntura, com uma aparente saída de uma pandemia e entrada numa guerra na Europa, e o impacto que tem tido na inflação que afeta cada vez mais as famílias.

Foto: mediotejo.net

Salientou a importância dos apoios sociais dados aos habitantes do concelho, bem como das bolsas de estudo e de mérito aos mais jovens.

ÁUDIO | Paulo Brito, presidente da Assembleia Municipal de Vila de Rei

Na sessão foram entregues os apoios sociais à fixação de população, com 21 apoios ao nascimento, 6 apoios ao casamento/união de facto e 9 apoios à fixação.

Foram também entregues bolsas de estudo aos alunos do concelho, com 18 Bolsas de Mérito pelo Percurso Escolar atribuídas, 14 Bolsas de Permanência Vila de Rei + e 8 Bolsas de estudo para alunos do Ensino Superior.

Foto: mediotejo.net

Integrada nas cerimónias esteve a entrega de reconhecimento aos funcionários da Câmara Municipal de Vila de Rei com 25 anos de serviço, tendo recebido a Medalha de Bons Serviços Edite Tavares Bernardino, Fátima Laranjeira Aires, Helena Ribeiro da Cruz e Paula Laranjeira Brás.

Também foi entregue a Medalha de Mérito Municipal Grau Prata a Eduardo Lyon de Castro, personalidade que tem contribuído ao longo da sua vida para a divulgação do potencial turístico do concelho, a par das potencialidades e riquezas do património natural. Foi um dos principais impulsionadores do turismo de natureza e criação de percursos pedestres no concelho. O Município destaca “a grande importância que Eduardo Lyon de Castro teve no desenvolvimento turístico do concelho, com fortes repercussões ainda nos dias de hoje”.

Eduardo Lyon de Castro recebeu a Medalha de Mérito Municipal Grau Prata. Foto: mediotejo.net

“Eduardo Lyon de Castro é uma personagem incontornável do desenvolvimento turístico de Vila de Rei, tendo sido um dos principais pioneiros e impulsionadores que conseguiram começar por mostrar ao mundo todo o potencial turístico do concelho. O entusiasmo e a dedicação que sempre demonstrou pelas belezas naturais de Vila de Rei fizeram com que fosse o principal responsável pela criação e desenvolvimento do primeiro Roteiro Turístico do Concelho de Vila de Rei. A produção deste folheto permitiu uma rápida e eficiente divulgação do território perante todas as pessoas que visitavam Vila de Rei e, principalmente, a sua distribuição por todo o território nacional conseguiu mostrar o potencial turístico do concelho a muitos milhares de pessoas e, com isso, aumentar o número de visitantes no nosso território”, refere a autarquia sobre o homenageado.

Foi responsável pela criação da primeira empresa de Animação Turística no concelho, ‘Opções & Alternativas’, tendo começado “por explorar um mercado que, nos dias de hoje, apresenta uma oferta rica e variada, capaz de atrair os mais exigentes visitantes”.

Foto: mediotejo.net

“É ainda importante realçar todo o apoio que Eduardo Lyon de Castro para que Vila de Rei pudesse ter recebido importantes eventos turísticos e desportivos, que atraíram centenas de participantes e milhares de espetadores, como é o caso do Challenger Trophy, SuperSlalom Downhill Vila de Rei, Dakar Series Vila de Rei, entre outros”, referiu-se no decorrer da cerimónia.

“Todo o seu empenho e entusiasmo em levar o nome de Vila de Rei e mostrar o seu potencial turístico por Portugal e pelo mundo, foi um fator fulcral para que o concelho se tornasse uma referência turística do interior do País, atraindo largos milhares de pessoas para o território vilarregense e, com isso, dando uma forte contribuição para o desenvolvimento da economia local e para o surgimento de novas empresas e, consequentemente, novos postos de trabalho”.

ÁUDIO | Eduardo Lyon de Castro, homenageado com Medalha de Mérito Municipal Grau Prata

Nesta senda foi igualmente atribuída a Medalha de Mérito Municipal ao Lions Clube de Vila de Rei, à Associação Cultural, Desportiva e Recreativa de Milreu e à Associação Recreativa, Cultural, Desportiva do Aivado.

Após a cerimónia, decorreu o tradicional almoço comunitário com a população no Parque de Feiras da vila, num momento de convívio e animação, fortalecendo o espírito e união entre as gentes do concelho.

FOTOGALERIA

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Bom dia.
    As minhas felicitações pelo continuo trabalho que vos é peculiar e que é vosso apanágio .
    Continuem assim , na senda do bom jornalismo, pois este é um ponto carente a nível nacional.
    Excelente trabalho o vosso, que faz ver aos média das televisões e não só, como se trabalha isentos de política, religião ou desporto.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.