Município de Vila de Rei avança para a construção de mais seis fogos para habitação. Créditos: CMVR

O Concurso Público do município de Vila de Rei para a “Construção de Seis Fogos” destinados a habitação foi já publicado em Diário da República. A empreitada apresenta um preço base de 544 mil euros, tem um prazo de execução de 15 meses, e prevê a construção de seis fogos, no lote 20 do aldeamento do Vale Galego, com a edificação de um edifício constituído por três pisos com a seguinte ocupação: pisos 0, 1 e 2 destinados a duas habitações unifamiliares cada (um T2 e um T3); piso 3 destinado a arrumos.

O presidente da autarquia vilarregense, Ricardo Aires, afirma que “face à constante procura e ao aumento de famílias interessadas em mudar a sua residência para o nosso Concelho, torna-se imperativo reforçar a disponibilidade de alojamento em Vila de Rei. Com esta obra estamos assim a dotar o Concelho com novas casas com boas condições de habitabilidade, a preços mais reduzidos, numa medida que permite ainda combater o despovoamento do interior”.

Estes trabalhos surgem após aprovação da candidatura submetida ao Plano de Recuperação e Resiliência, no âmbito do Aviso 02/C02i02/2021.

Os interessados devem submeter a sua proposta para o concurso através da plataforma disponível em www.acingov.pt, num prazo de 20 dias a contar do lançamento do Concurso, que foi publicado em Diário da República, a 27 de dezembro de 2022 (n.º 248 com anúncio de procedimento 17102/2022),

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *