Tramagal, vista sobre o miradouro e do Tejo. Foto arquivo: Telmo Rodrigues

A Assembleia de Freguesia de Tramagal aprovou por maioria o Plano de Atividades e o Orçamento para 2022, sendo de destacar uma verba de 370 mil euros e os 39 objetivos definidos pelo executivo liderado por António José Carvalho (MIFT), a par de um voto de louvor a Jorge Rosa, ex-presidente da Mitsubishi, apresentado pelo PS e aprovado por unanimidade. A construção de uma piscina descoberta é um dos objetivos do executivo.

O orçamento conta este ano com uma verba de 370 mil euros, uma redução comparada com os 422 mil euros de 2021 e um aumento comparado com os 266 mil euros de 2020, tendo o documento contado com 5 votos favoráveis do Movimento Independente Freguesia Tramagal (MIFT) e 4 votos de abstenção do Partido Socialista (PS), com o presidente da junta de freguesia a considerar o documento “ambicioso” e que aponta para uma execução global a médio e longo prazo.

Tendo começado por elencar o trabalho desenvolvido entre a tomada de posse, em outubro de 2021, e a aprovação do orçamento, no final de dezembro, destaca-se a recolha e encaminhamento dos monos e resíduos verdes das instalações da freguesia e de particulares e a eliminação de pontos de colocação indevida de resíduos, a par de trabalhos ao nível de limpezas, pinturas, reparações e manutenções, o assinalar de datas como o Dia de Finados e a quadra natalícia, e a decisão de não avançar com o processo relativo à substituição de lancis nas ruas Eng.º Mário Duarte Ferreira e Eng.º Octávio Duarte Ferreira, incluído em contrato interadministrativo de 2021, nos moldes que estavam previstos.

Dando conta dos 39 objetivos anunciados, que elencamos de seguida, António José Carvalho disse que os mesmos prosseguem uma “estratégia para termos uma Freguesia progressiva, cada vez mais ecológica, resiliente, integrada no progresso tecnológico e socialmente justa, uma Freguesia com uma economia cada vez mais forte, no âmbito das suas competências e em parceria”.

Assim, a Junta de Freguesia de Tramagal pretende levar a cabo no próximo ano de 2022 as seguintes atividades: 1 – Reparação de ruas do centro histórico de Tramagal; 2 – Reparação da “estrada do campo” – caminhos rurais a norte da linha de caminho de ferro e do Bacharel; 3 – Acompanhamento das obras de requalificação do Largo dos Combatentes da Grande Guerra; 4 – Implementação da parceria para execução do projeto de renovação da aldeia do Crucifixo, incluindo o turismo sustentável na Ribeira de Alcolobre; 5 – Acompanhamento das obras de requalificação da Escola Octávio Duarte Ferreira; 6 – Requalificação do espaço museológico da Forja; 7 – Requalificação do monumento de homenagem a Eduardo Duarte Ferreira e área envolvente; 8 – Implementação de melhorias no espaço exterior do Centro Escolar; 9 – Elaboração do projeto de requalificação da área do Muro do Barulho; 10 – Elaboração do projeto de construção de piscina descoberta; 11 – Acompanhamento e realização de propostas para a resolução dos problemas de acessibilidade rodoviária”.

12 – Em cooperação com os Serviços Municipalizados de Abrantes proceder à instalação de ponto para recolha de resíduos de construção e demolição (entulho) procedentes de pequenas obras particulares; 13 – Controlo das colónias de gatos; 14 – Gestão do arboredo público no quadro da nova legislação sobre a matéria; 15 – Valorização das margens do Tejo e definição de plano conducente ao uso sustentável dos nossos cursos de água; 16 – Elaboração de anteprojeto de promoção e qualificação paisagística e funcional das áreas desportivas, de recreio e lazer da zona do Campo de Jogos.; 17 – Elaboração de candidatura ao galardão Eco-Freguesias XXI; 18 – Valorização da paisagem da freguesia (Prémio da Paisagem do Conselho da Europa), 19 – Promoção do uso da bicicleta; 20 – Participação no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, 21 – Iniciativa para a resolução do problema urbanístico da Casa Eduardo Duarte Ferreira e sua envolvente; 22 – Acompanhamento do processo de elaboração do Plano Diretor Municipal de Abrantes, 23 – Acompanhamento da implementação do Plano de Urbanização de Tramagal; 24 – Valorização e promoção da Zona Industrial.

25 – Implementação da página web da Freguesia de Tramagal; 26 – Abertura do espaço sociocultural na sede da Junta de Freguesia; 27 – Dinamização de atividades culturais; 28 – Desenvolvimento do Museu MDF; 29 – Comemoração das datas mais importantes para a comunidade; 30 – Promoção e cooperação com as associações na realização de eventos culturais e desportivos; 31 – Apoiar as comemorações do Centenário do Tramagal Sport União; 32 – Melhorar a ação social da Freguesia com desenvolvimento de parcerias; 33 – Implementação da Estratégia Local de Habitação; 34 – Continuar a assegurar transportes escolares ao 1.º ciclo e pré-escolar; 35 – Promover o passeio anual da terceira idade e apoiar visitas de estudo realizadas pelas escolas da Freguesia; 36 – Promoção da eficiência dos serviços autárquicos com implementação de sistema de indicadores de gestão; 37 – Aquisição de máquinas e equipamentos para aumento da produtividade do trabalho dos serviços da Junta de Freguesia; 38 – Implementação de melhorias nas condições de trabalho; 39 – Formação para os funcionários e membros dos órgãos autárquicos”.

Vista aérea da freguesia de Tramagal. Foto: DR

O jornal mediotejo.net ouviu o presidente da junta de freguesia de Tramagal, António José Carvalho, e o líder da oposição, Pedro Rodrigues, a propósito deste plano de atividades após uma Assembleia que foi transmitida pela primeira vez pela internet e que foi assim ao encontro de um dos objetivos do atual executivo, e que passa pela “extensão da relação online” com a população e demais entidades.

António José Carvalho, presidente da Junta de Freguesia de Tramagal eleito pelo MIFT. Foto; mediotejo.net

ÁUDIO | ANTÓNIO JOSÉ CARVALHO (MIFT), PRESIDENTE JF TRAMAGAL:

mediotejo.net – Cerca de 370 mil euros é o orçamento aprovado para este ano, mais que em 2020, menos que em 2021. A verba é suficiente para o plano de atividades aprovado?

António José Carvalho – O orçamento da Junta de Freguesia, realmente, é maior que o de 2020 e menor que o de 2021. Há alterações recentes ao financiamento das freguesias que explicam isso. Nós de 2020 para 2021 ganhámos competências, a Junta de Freguesia de Tramagal começou ter competência, por exemplo, sobre os espaços verdes e os arruamentos, que vieram acompanhados de algum financiamento suplementar para podermos cumprir com essas novas obrigações. E daí a evolução desde 2020 para a frente, em que os orçamentos da nossa Junta de Freguesia, como das demais, passou a ser um bocadinho maior. Em relação ao ano passado, a diferença relaciona-se essencialmente com a previsão de financiamentos comunitários ou de transferências do município em contratos interadministrativos para projetos que se previam realizar em 2021, no orçamento passado, e que este ano são diferentes, portanto há aí uma ligeira diferença para menos naquilo que é o financiamento ao abrigo dos fundos comunitários previstos e dos fundos transferidos da Câmara Municipal para a freguesia ao abrigo dos contratos interadministrativos.

O Plano de Atividades abarca 39 pontos. É um projeto ambicioso? Quais destaca?

O Plano de Atividades elenca 39 atividades, ações, que nos propomos realizar ao longo deste próximo ano, de uma forma realista queremos de facto também congregar todas as vontades e associarmo-nos a todas as vontades para o desenvolvimento de alguns desses projetos. A ideia do serem 39 ações traz uma estratégia. Há um conjunto de ideias que queremos desenvolver ao longo destes próximos anos no Tramagal e que necessitam de várias ações, umas preparatórias, outras estão elencadas como realização de projetos, ou conclusão de coisas que já estão em curso, mas refletindo ali uma unidade em torno de uma estratégia de valorização do Tramagal no sentido de tornar a freguesia mais atrativa e mais amiga de todos, mais alegre, e o nosso sentido de trabalho é esse.

É um plano de atividades que não encerra em si um objetivo para um ano, o de 2022, antes indica um caminho para um mandato?

Sim, nós tivemos essa preocupação de facto, de não termos a ideia de fazer um conjunto de coisas desgarradas num dado momento, mas sim de termos um conjunto de atividades que se vão complementando e associando umas às outras em torno de um caminho que nós iremos perseguir nos próximos anos. Portanto há aí muitos passos que nós estamos a dar agora que só terão reflexos em anos vindouros. Há outros que são já a conclusão de passos que começámos a dar e que vamos aqui trabalhar. Nem destacaria propriamente uma ação em particular, porque há aqui de facto uma convergência de ações por um sentido comum.

Tenho de lhe perguntar por uma em específico, pois gerou algumas dúvidas sobre a sua possibilidade de execução, que era de uma piscina descoberta em Tramagal, mas o que é certo é que a elaboração do projeto consta no plano de atividades…

Sim. A construção de uma piscina em Tramagal, termos um espaço atrativo e que permita à população local ter um local de lazer e de encontro como uma piscina, parece-nos a nós como importante e valorizador da nossa freguesia. Isso é uma coisa que nós já há bastantes anos vimos defendendo. Parece-nos ser daqueles investimentos que maior retorno poderia trazer a nível da qualidade de vida da nossa população, da animação da vida da freguesia, e que por isso nós vamos manter a intenção de concretizar sabendo das dificuldades que temos, nomeadamente da captação dos financiamentos necessários para a sua realização, mas mantemos essa intenção e inscrevemos como uma atividade este ano, trabalharmos ao nível do projeto e da resolução dos problemas burocráticos, até da própria propriedade, localização, que não está totalmente definido, portanto ao nível desses aspetos, nós fazermos um trabalho também aí intenso para avançarmos também nesse ponto.

Na assembleia foi também aprovado um louvor a Jorge Rosa, presidente da Mitsubishi que cessou funções em dezembro…

Sim, a Junta de Freguesia já tinha tido oportunidade de expressar o seu agradecimento ao engenheiro Jorge Rosa pelo trabalho que desenvolveu aqui na freguesia nas últimas décadas, uma pessoa que está ligada à indústria local, com grandes responsabilidades, já desde o tempo da Metalúrgica Eduardo Ferreira, e que, enfim, acaba por ser a pessoa que simboliza a transição nomeadamente da componente automóvel da nossa indústria para uma nova fase e até projeção para uma fase que queremos de grande futuro, agora inclusive ligada ao transporte elétrico, etc. Houve a apresentação de um voto de louvor por parte até do Partido Socialista nesta assembleia, a que o Movimento Independente se associou e a própria Junta fez questão de se associar, expressando as palavras de reconhecimento devidas a essa pessoa e também nele simbolizando o reconhecimento que nós temos por toda a gente que nas últimas décadas tem mantido a perseverança e a resiliência em torno da indústria tramagalense, não só na Mitsubishi mas também nas outras empresas.

Esta Assembleia marca o primeiro orçamento e plano de atividades do novo executivo e o início das transmissões em direto das assembleias de freguesia. É para continuar?

É. Nós tínhamos também isso no nosso programa e até também devido à própria contingência da pandemia que vivemos, vimo-nos até obrigados a acelerar e a promover esta transmissão da Assembleia de Freguesia através dos canais, no caso do Facebook, e que nós vamos continuar, vamos desenvolver, vamos melhorar. Houve alguns problemas técnicos ainda nesta primeira experiência que fizemos, mas isso vai-se aperfeiçoando, vai-se aprendendo e melhorando, e o sentido é de facto levar as pessoas a conhecer melhor a vida da sua freguesia, os seus meios mais institucionais, o trabalho que a junta desenvolve, para envolver mais as pessoas, desenvolver a democracia e de facto também aí dar um sinal que o Tramagal está em linha com o que são as novas tecnologias e a comunicação online.

O Plano de Atividades, considera que é ambicioso, está satisfeito com o mesmo e que mensagem quer deixar?

É um plano de atividades ambicioso e exigente a que nos estamos a propor fazer. Nós todos os dias estamos a dar passos constantemente entre a tal linha estratégica que referi para cumprir este programa e para fazer avançar as coisas com ambição. De facto, uma das coisas que sentimos forte necessidade e que levou ao envolvimento de todas estas pessoas e que envolve ao fim ao cabo todas as pessoas, e vou estender isto até à própria oposição, num sentido que penso que seja geral, é de combater uma certa decadência que o nosso território vinha a ter em termos de perda de população, perda de alguma atividade económica, especialmente a nível de comércio e outras atividades, e perda de notoriedade da própria vila de Tramagal no contexto regional e nós queremos de facto virar isso, queremos envolver toda a gente numa dinâmica mais positiva, pois sentimos que é possível, o Tramagal tem tudo para ser uma terra das melhores do mundo para se viver e é isso que nós vamos querer proporcionar e trabalhar o mais intensamente possível para que isso aconteça, portanto, daí a ambição a exigência também sobre a nossa própria atividade e o sentido de colaboração e cooperação com toda a gente nesta vontade de trabalharmos em favor de todos”, concluiu António José Carvalho.

Os membros eleitos pelo Partido Socialista para a Assembleia de Freguesia de Tramagal, que apresentaram um voto de louvor a Jorge Rosa, ex-presidente da Mitsubishi Fuso Truck Europe, aprovado por unanimidade, abstiveram-se na votação do Orçamento e Plano de Atividades apresentado pelo executivo da Junta de Freguesia de Tramagal, tendo Pedro Rodrigues justificado o sentido de voto.

Pedro Rodrigues, líder da bancada PS em Tramagal. Foto: PS

“Foi com alguma surpresa que verificámos que o Orçamento para 2022 pouco ou nada tem de diferente do Orçamento de 2021 e anteriores. Se bem sabemos que as “contas” da Junta estão certas e pouco podem diferir do apresentado, as posições tomadas pelo MIFT nos últimos anos e amplamente divulgadas na Campanha Eleitoral, criaram-nos a expectativa de que apresentariam um Orçamento muito diferente”, afirmou.

Segundo afirmou, ”também o Plano de Atividades para 2022, com 39 ações, que reflete as promessas efetuadas nos últimos meses, nos criaram incredulidade. Considerando que um documento não se pode dissociar do outro, não se vê plasmado no Orçamento”. 

“A maioria das ações elencadas, são na verdade intenções, de quase nula exequibilidade por parte da Junta de Freguesia. Ações a serem desenvolvidas por outros (nomeadamente Associações); outras a executar em terrenos/propriedades que não são da posse da Junta e para as quais não há, ou não foram efetuados/anunciados quaisquer acordos ou contratos, nem a sua intenção; outras ainda que identificámos como não tendo competência para o efeito”, disse Pedro Rodrigues, tendo concluído ao afirmar que o PS não se revê nesta forma de trabalho, dando contudo, o benefício da dúvida ao atual executivo.

“Considerando que não queremos crer que a Junta vá contornar a Lei a que está acometida enquanto Instituição Pública, e por não nos revermos nesta forma de trabalho, não nos restou alternativa a não ser a Abstenção, não deixando de dar o benefício da dúvida para o desempenho do Executivo que cá estaremos para avaliar em momento oportuno”, concluiu.

O PS apresentou para aprovação um voto de louvor com o objetivo de “reconhecer publicamente a dedicação e empenho que o Sr. Eng. António Jorge Lima da Silva Rosa, mais conhecido por Jorge Rosa, empregou por mais de 40 anos ao serviço das diferentes empresas, tendo como referência a extinta Metalúrgica Duarte Ferreira e, nos últimos anos, como presidente e CEO da Mitsubishi Fuso Truck Europe (MFTE). Um percurso em crescendo que lhe merece reconhecimento por todos os trabalhadores e comunidade em geral. Seremos sempre gratos por nunca ter desistido desta Freguesia de Tramagal”.

“Desta forma, propomos que esta Assembleia vote um Voto de Louvor ao Sr. Eng. Jorge Rosa por toda a sua dedicação e contributo no engrandecimento do Tramagal”. O voto de louvor foi aprovado por unanimidade. 

Jorge Rosa está há 42 anos na fábrica do Tramagal, sendo o mais antigo trabalhador da empresa. A Junta de Freguesia aprovou um voto de louvor na hora de saída da presidência da MFTE. Foto: mediotejo.net

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.