A fábrica da Mitsubishi Fuso (MFTE) no Tramagal (Abrantes) retomou a produção automóvel no dia 4 de maio com especial enfoque na segurança dos seus 400 trabalhadores, tendo implementado 60 protocolos e medidas de higiene e segurança. O mediotejo.net visitou a unidade industrial, falou com os funcionários e entrevistou o presidente executivo da MFTE, Jorge Rosa. Aos 63 anos, Jorge Rosa é o funcionário mais antigo da empresa que sucedeu à Metalúrgica Duarte Ferreira na montagem de camiões, tendo inclusive laborado na MDF. Rosa completou 40 anos de serviço no dia da retoma da produção automóvel na MFTE e assume que lidar com esta pandemia é um dos maiores desafios da sua vida.

Após a suspensão da produção no dia 23 de março, em consequência da pandemia de Covid-19, a normal produção na fábrica da Mitsubishi Fuso recomeçou na segunda-feira, dia 4 de maio, e o presidente executivo da empresa falou dos contornos e implicações da pandemia no grupo de trabalho, na economia e na produção automóvel, deu conta dos casos positivos com covid-19 em funcionários da MFTE, falou no nervosismo que se viveu na semana que antecedeu o fecho da fábrica, apontou ao presente e perspetivou o futuro, a curto prazo. Encomendas, para já, asseguram trabalho até ao mês de julho. A partir de agosto não arrisca prognósticos, tendo referido ser necessário aguardar pelo desenvolvimento de vários fatores e pelo comportamento da economia e dos mercados.

A fábrica da Mitsubishi Fuso (MFTE) no Tramagal retomou automóvel a produção no dia 4 de maio com especial enfoque na segurança dos seus 400 trabalhadores. Foto: mediotejo.net

Como forma de proteger a saúde de todos os colaboradores e garantir a atividade económica da empresa, foram aplicadas um conjunto de 60 medidas de higiene e segurança, coordenadas por uma ‘task force’ criada especialmente para o efeito e que trabalhou durante todo o período do estado de emergência.

As medidas implementadas incluíram limpeza, desinfeção e descontaminação de espaços comuns, instalação de câmaras de monitoramento da temperatura corporal, dispensadores de desinfetante para as mãos e reconfiguração da linha de montagem, escritórios e cantina, ajustes aos horários de produção, rotinas de desinfeção de ferramentas, prolongamento do teletrabalho, verificação diária da conformidade da implementação das regras de segurança, fecho de balneários e acesso condicionado a vestiários, com o objetivo de garantir uma distância mínima de um metro e meio entre os colaboradores.

Fábrica da Mitsubishi retoma produção em Tramagal com 60 medidas de segurança. Foto: mediotejo.net

Encontra-se igualmente definido o plano de contingência para o caso de aparecimento de casos suspeitos de covid-19 ou para qualquer “reocorrência”, com sala de isolamento e procedimento de descontaminação das áreas.

A fábrica da MFTE suspendeu a produção automóvel no dia 23 de março para prevenir a expansão da covid-19, tendo Jorge Rosa dado conta que três trabalhadores foram infetados pelo novo coronavírus. “Houve três casos positivos e parámos no dia certo. Se demorássemos mais uma semana [a fechar a fábrica] o problema poderia ter ganho outra dimensão”, notou.

O responsável disse que cedo foi entendida “a dimensão do problema” e falou do nervosismo na fábrica na semana que antecedeu a paragem da produção. “Pressentíamos que as pessoas queriam que parasse a produção e foi o que fizemos. Havia muito nervosismo e as condições psicológicas não eram as melhores. Tomámos a decisão correta”. Agora, para retomar a laboração, foi elaborado um tão minucioso quanto exaustivo plano de higiene e segurança.

Após a suspensão da produção no dia 23 de março, em consequência da pandemia de Covid-19, a normal produção na fábrica da Mitsubishi Fuso recomeçou na segunda-feira, dia 4 de maio. Foto: MFTE

Por toda a fábrica foram afixadas placas de segurança e cartazes com informações sobre como prevenir a Covid-19. Os trabalhadores receberam antecipadamente um Guia de prevenção epidemológica as instruções para o regresso ao trabalho, e no momento de receção foi entregue a cada um kit de proteção covid-19 (contendo máscaras cirúrgicas, gel higienizante portátil, óculos de segurança e manual de boas práticas) para uso diário e foi apresentada ainda a análise de risco e ações específicas para cada linha/posto de montagem.

As reuniões entre áreas são via skype, parte do staff está em teletrabalho, visitas à fábrica só as fundamentais, assim como as viagens no país e para o estrangeiro.

“A colaboração de todos os funcionários da empresa no cumprimento das regras foi fundamental para que o arranque tenha sucedido da melhor maneira. As pessoas sentem-se reconfortadas com as medidas agora tomadas e que estão no terreno”, assegurou.

Jorge Rosa completou 40 anos de serviço no dia da retoma da produção automóvel na MFTE, a 4 de maio, e assume que lidar com esta pandemia é o maior desafio da sua vida e da empresa que lidera. Foto: mediotejo.net

A fábrica da MFTE em Tramagal é o centro de produção da FUSO na Europa e emprega cerca de 400 trabalhadores diretos, integrando a Daimler Truck, a maior construtora mundial de veículos pesados.

Em 2019, fabricou 11.036 veículos Canter, sendo mais de 90% para exportação para o mercado europeu e também para os Estados Unidos, Israel, Turquia e Marrocos.

A empresa faturou cerca de 222 milhões de euros em 2019.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Entre na conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.