Pedro Jóia leva álbum 'Zeca' a Torres Novas no dia 25 de abril. Foto: LuísMSerrao

No concerto comemorativo do 25 de Abril de 1974, com entrada gratuita, Pedro Jóia apresenta em Torres Novas, no dia 25 de abril, às 17:00, o seu trabalho mais recente, “Zeca”, homenagem à obra musical de José Afonso.

Antes, na sexta-feira, dia 23, a programação de abril do Virgínia acolheu a estreia de “Do Pedido à Boda – De Tchekhov a Brecht”, uma peça do Teatro Meia Via, “em que duas ideias diferentes de ver teatro ficam interligadas num casamento imperfeito”. A programação de abril inclui ainda no dia 30 “Backyard Sessions”, de Bruno Santos e Ricardo Toscano.

A programação de abril a julho do Teatro Virgínia, em Torres Novas, abriu com “Paranormal 2021”, de Joaquim Monchique, no dia 02 de abril, e inclui nomes como Rita Redshoes, que atuou no sábado, 9 de abril, Pedro Jóia (no dia 25) e Os Azeitonas (14 de maio).

Em maio, Vera Alvelos apresentará o espetáculo para crianças “Princesa Sal” (dia 04), o torrejano David Marques, o espetáculo de dança “Teorias da Inspiração” (dia 07), Os Azeitonas levam ao Virgínia “Ambos os três” (dia 14), estando a peça “Quetzal”, de Beatriz Brito e Jéssica Brandão, agendada para dia 21, terminando o mês com a estreia da peça “O Lugar”, do Atelier Teatral dos Miúdos (dia 27).

A aldeia da Ribeira Ruiva recebe, a 18 de junho, “CRASSH_DuoCircus”, um espetáculo em que duas personagens, We Tum Tum, “utilizam o mais comum dos objetos para produzir música, desde simples melodias a complexos e virtuosos ritmos”, numa das iniciativas “Fora de Portas” do Virgínia.

A 16 de julho, será a vila de Riachos a receber a companhia Erva Daninha, que apresentará “Rasto”, um espetáculo de circo contemporâneo em que “a máquina agrícola ganha vida própria, ruge, dança na arena”.

A programação do quadrimestre termina a 22 de julho com “Monólogos da Vacina”, de João Baião, “numa eletrizante sequência de diálogos, coreografias, canções e cenas recheadas de humor”.

O Teatro Virgínia destaca, ainda, o projeto de formação e desenvolvimento em criação coreográfica, no âmbito do Lab Criativo, “BlackBox’22”, da associação O Corpo da Dança, de Marta Tomé, no dia 29 de abril, e “as inúmeras sessões para escolas, ‘workshops’, leituras encenadas, ações de formação”, além da parceria com o Cineclube de Torres Novas, com sessões de cinema às terças-feiras.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.