Ponte do Lamego. Foto: CM T. Novas

Por questões de segurança, a Câmara Municipal de Torres Novas (CMTN) decidiu-se pela demolição da Ponte do Lamego. A proposta colocada a votação em reunião camarária – e aprovada por maioria – tomou em consideração “a unanimidade de recomendações dos relatórios, na questão da demolição da Ponte do Lamego, decorrentes de uma peritagem independente, para análise das condições de segurança estrutural e da contratualização de uma vistoria à obra por parte do Laboratório Nacional de Engenharia Civil”.

Câmara decide pela demolição e substituição da Ponte do Lamego. Foto: CMTN

“Face a um ligeiro desvio da prumada de um dos pilares da Ponte do Lamego, junto à margem  direita do rio Almonda, no ano de 2017, foi realizado um procedimento de sondagens geotécnicas para caracterizar os terrenos de fundação dos pilares da ponte, sendo que, no ano de 2019, marcado por um inverno anormalmente pluvioso, agravado pelo episódio climático excecional, designado de “Tempestade Elsa”, que promoveu uma cheia considerável no rio Almonda, voltou novamente a ser afetada a prumada do pilar.

Facto que se deve à cota do tabuleiro ser um obstáculo à livre circulação das águas do rio em casos de cheia. Por questões de segurança, é entretanto promovida a decisão de encerramento total do tabuleiro a 27 de novembro de 2019″, recorda o Município em nota de imprensa.

A velha Ponte do Lamego vai ser deitada abaixo e dar lugar a uma nova ponte metálica suspensa, rodoviária e com acesso pedonal. O valor estimado para obra é de 296.082,74 euros acrescidos de IVA.

António Rodrigues (Movimento P’la Nossa Terra) foi perentório: “Sou totalmente contra qualquer solução que implique a demolição da ponte”. Por isso, votou contra a proposta apresentada: “Fica-se com a perceção de que vocês gostam de destruir… Eu voto contra e clamo para que não deitem a ponte abaixo. Não concordo que se deitem pontes abaixo. Há alternativas. A ponte não tem que ir abaixo.”, afirmou António Rodrigues, alertando a maioria socialista: “Não fiquem com o vosso nome ligado à destruição da Ponte do Lamego…”.

Por sua vez, Carlos Graça, em substituição de Tiago Ferreira (Afirmar Torres Novas, PSD/CDS-PP), absteve-se na votação. “É verdade que a água bate muito alto e que será muito difícil conseguir recuperar a ponte e aumentar o caudal. Além de prejudicar a ponte, pode prejudicar outras estruturas que estão ao lado da ponte. Eu não sou técnico e esta é a minha análise olhando para o que lá está. Primeiro temos de pensar na segurança”, afirmou.

Ainda assim, anuindo às razões apresentadas, não votou ao lado da maioria socialista e absteve-se.

Carla Paixão

Natural de Torres Novas, licenciada em jornalismo, apaixonada pelas palavras e pela escrita, encontrou na profissão que abraçou mais do que um ofício, uma forma de estar na vida, um estado de espírito e uma missão. Gosta de ouvir e de contar histórias e cumpre-se sempre que as linhas que escreve contribuem para dar voz a quem não a tem. Por natureza, gosta de fazer perguntas e de questionar certezas absolutas. Quanto ao projeto mais importante da sua vida, não tem dúvidas, são os dois filhos, a quem espera deixar como legado os valores da verdade, da justiça e da liberdade.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *