Helena Pinto. Foto: mediotejo.net

O tema não estava na Ordem de Trabalhos, o que conduziu a vereadora do Bloco de Esquerda (BE), Helena Pinto, a questionar na reunião camarária de 3 de março, terça-feira, a que se devia a demora em trazer a moção da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) pela valorização do aeroporto de Tancos à votação, à semelhança dos restantes municípios. O presidente Pedro Ferreira (PS) explicou que não havia pressa e que o documento deverá ser votado na próxima reunião privada. Helena Pinto aproveitou então para deixar bem patente que o BE não partilha do entusiasmo geral com a ideia.

“O BE é contra esta medida”, referiu Helena Pinto. “Achamos que não é uma medida adequada”, argumentou, lembrando a necessidade de se investir atualmente em matérias mais relacionadas com as alterações climáticas e a sustentabilidade ambiental do que em novos aeroportos, que possuem uma elevada pegada poluente. Consideraria assim que a proposta de um aeroporto em Tancos vem fora de tempo.

Pedro Ferreira não se pronunciou largamente sobre o tema, pelo que o debate não se alongou. Defendeu porém as mais valias de instalar uma estrutura aeroportuária na região, conjugado a vertente militar já existente com a civil.

“Não olhando para Tancos é esquecer-se de um factor importante para a nossa região. Que não nos arrependamos um dia de deixar cair um polígono que já foi tão importante”, refletiu o presidente.

O tópico foi garantido para a próxima sessão camarária.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.