O Sporting Clube de Tomar visita a Juventude Salesiana nos 'oitavos' da Taça de Portugal de hóquei em patins. Foto arquivo: DR

O Sporting de Tomar (I) vai ao Estoril defrontar a Juventude Salesiana (II) nos oitavos de final da Taça de Portugal em hóquei em patins, ditou o sorteio realizado na quinta-feira. Na eliminatória anterior a equipa de Tomar foi vencer o Marinhense por 7-3-

Na 13ª jornada do campeonato da 1ª divisão nacional, o Sporting de Tomar venceu na quarta-feira a Associação Desportiva de Valongo por 5-1 e fecha a primeira volta em 7º lugar, a apenas um ponto da Oliveirense, o próximo adversário, e com sete pontos de vantagem sobre o Parede, 8º classificado. O Sporting de Tomar recebe a Oliveirense no sábado, dia 21, às 18h00.

O clássico Sporting-Benfica destaca-se nos jogos dos oitavos de final da Taça de Portugal, nos quais o FC Porto, detentor do troféu, visita o Física, da segunda divisão, segundo ditou o sorteio. Os ‘leões’, que somam quatro troféus, e não vencem desde 1990, recebem as ‘águias’, com 14 triunfos na competição, que não ganham desde 2015.

O FC Porto, que comanda o ranking de êxitos na prova, com 18 Taças de Portugal, incluindo quatro das últimas cinco edições, tem missão mais facilitada, ante o opositor do segundo escalão. O Óquei de Barcelos, com quatro cetros, o derradeiro em 2004, joga em casa do Turquel. Quanto aos quartos de final da competição feminina, o Benfica, vencedor das últimas oito edições, recebe a Sanjoanense.

Sporting de Tomar recebe a Oliveirense no sábado. Foto arquivo: mediotejo.net

– Programo dos oitavos de final da Taça de Portugal masculina:

Póvoa (II) – Famalicense (I)

Oeiras (II) – Murches (I)

Salesiana (II) – Sporting de Tomar (I)

Turquel (II) – Óquei de Barcelos (I)

Sporting (I) – Benfica (I)

Académica (II) – HC Braga (I)

Física (II) – FC Porto (I)

Parede (I) – Valongo (I)

– Sorteio dos quartos de final da Taça de Portugal feminina:

Escola Livre Azeméis (I) – Turquel (I)

Académica (I) – Campo de Ourique (I)

CA Feira (I) – Carvalhos (I)

Benfica (I) – Sanjoanense (I)

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *