O Bons Sons entrou este domingo, dia 13, na última metade do programa de 2017. Pela aldeia já passaram dezenas de artistas que integram a banda sonora escolhida este ano por Cem Soldos para os cerca de quarenta mil visitantes esperados viverem a aldeia.

As propostas do festival que privilegia a música portuguesa desde as raízes tradicionais aos sons que conquistaram os tops e fizeram História variaram entre Virgem Suta, Mão Morta, Capitão Fausto, Manuel Fúria e os Náufragos, Whales, Holy Nothing, Glockenwise, Señoritas, Throes + The Shine e Né Ladeiras, entre outros.

No total, foram quase três dezenas os artistas que atuaram nos dias 11 e 12 de agosto para a multidão vinda de toda a parte que aliviou o calor das tardes quentes com a cerveja nas canecas reutilizáveis e a água dos borrifadores que os jovens voluntários vão espalhando à passagem.

Os Mão Morta assinalaram os 25 anos do álbum “Mutantes”. Foto: mediotejo.net

À noite, a temperatura manteve-se elevada junto dos palcos que também recebem Samuel Úria, José Cid, Orelha Negra, Frankie Chavez, The Poppers e Rodrigo Leão num cartaz que assegura mais de 15 horas diárias com animação e termina no palco Aguardela ao som da música eletrónica.

Os sons portugueses e o espírito comunitário local voltam a ser os pontos fortes do festival que, na sua oitava edição, já se afirmou como um dos momentos destacados nas agendas de verão e há muita aldeia para ser vivida uma vez que o itinerário não passa apenas pelos concertos.

Né Ladeiras foi um dos cabeças-de-cartaz do segundo dia. Foto: mediotejo.net

As ruas, mais movimentadas do que o habitual nesta altura do ano, ganham vida própria onde se pode encontrar artesanato, bandas de garagem, espetáculos de dança, atividades infantis, jogos populares, visitas guiadas pelos habitantes mais novos e espaços para repor as forças com ementas variadas.

O programa fez a sua viragem para a segunda parte e até à próxima segunda-feira, dia 14, os parques de campismo e de autocaravanas continuam disponíveis para manter ou receber novos festivaleiros que rumam ao concelho de Tomar para quatro dias de Bons Sons.

Sónia Leitão

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.