Corporação de Bombeiros de Tomar sem nenhuma viatura de socorro operacional. Foto: DR

O Corpo de Bombeiros Municipais de Tomar está neste momento sem viaturas de emergência pré-hospitalar. As quatro ambulâncias de socorro, uma delas do INEM, estão avariadas desde o dia 16 de dezembro, sexta feira. Os vereadores do PSD solicitaram esclarecimentos e a presidente da Câmara já assegurou que o socorro à população “nunca esteve em causa”.

Apesar do reforço de operacionais na corporação de Tomar, com 19 operacionais (16 sapadores e 3 voluntários), o Corpo de Bombeiros Municipais de Tomar tem contado com o apoio de outras corporações para dar o apoio necessário à população, por não dispor de viaturas de emergência pré-hospitalar operacionais.

Perante o problema que se mantém desde dia 16, tem sido a ambulância da Cruz Vermelha a realizar alguns serviços de emergência. O protocolo já está estabelecido com a Cruz Vermelha, nomeadamente com a Delegação de Tomar e Abrantes, entidade que disponibiliza entre um a dois veículos para auxiliar nas missões de socorro.

Face aos constrangimentos nas viaturas de emergência pré-hospitalar, os vereadores do PSD solicitaram esclarecimentos sobre a situação à Câmara Municipal, através de requerimento enviado a 19 de dezembro, segunda-feira. No documento enviado, os vereadores procuram apurar o número de ambulâncias existentes no serviço, a data de aquisição e os quilómetros percorridos por cada uma delas. Para cada um dos veículos de socorro, os vereadores da oposição solicitam “o motivo e data da avaria” e “a razão na demora da reparação”.

O PSD questiona o asseguramento dos serviços de socorro à população e de que forma este está a ser articulado. No requerimento endereçado à autarquia, o grupo partidário solicita ainda uma “explicação para que uma situação desta gravidade, capaz de colocar em causa o socorro da população tomarense, tenha ocorrido”, lê-se no documento enviado ao nosso jornal.

Os Bombeiros de Tomar são municipais, pelo que a tutela da corporação está a cargo do município tomarense. O mediotejo.net tentou o contacto com a Câmara Municipal de Tomar para mais esclarecimentos, mas sem o conseguir, até ao momento. As quatro viaturas estão, ao momento, na oficina o que levou o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) a chamar ambulâncias de outras corporações vizinhas a dar resposta aos pedidos que chegam ao quartel.

Foto: Arquivo mediotejo.net

A presidente da autarquia, Anabela Freitas, assegurou já à Rádio Hertz que o socorro à população “nunca esteve em causa”. “Assim que a última ambulância, que é a mais antiga foi adquirida em 2014 pelo executivo, avariou na noite de sexta-feira, imediatamente informámos quer o INEM quer o Centro de Operações Distritais de Socorro de Santarém, bem como o Centro de Operações de Doentes Urgentes, no sentido de fazerem imediatamente a triangulação, caso acontecesse alguma coisa no concelho de Tomar, serem chamadas as outras corporações de bombeiros e foi o que aconteceu”, informou.

A dirigente política deu a conhecer que “na segunda feira entrou ao serviço uma ambulância da Cruz Vermelha Portuguesa. Nós solicitámos se a Cruz Vermelha nos podia auxiliar neste momento e essa ambulância tem estado ao serviço com uma tripulação Cruz Vermelha. Entrou ontem uma segunda ambulância da Cruz Vermelha ao serviço e entrou ontem, também, uma ambulância que nós solicitámos ao Corpo de Bombeiros do Município do Sardoal”.

Quanto às previsões para que a situação retome à normalidade, Anabela Freitas disse à rádio tomarense que se prevê que “ao final do dia de hoje, uma das nossas ambulâncias ficará concluída. Esperamos que até ao final da semana uma segunda ambulância nossa fique também operacional. As outras duas já estão há algumas semanas porque são avarias mais complicadas, não temos ainda previsão porque estão nas oficinas à espera de peças, há também falta de peças”.

Desta forma, a autarca assegurou à Hertz que “a prestação do socorro em Tomar nunca esteve em causa. Mesmo quando não há estes constrangimentos ao nível das ambulâncias, às vezes vêm outras corporações prestar o socorro a Tomar. Aqui o que houve foi um reforço e um pré-alerta das outras corporações para se deslocarem a Tomar”.

As emergências pré-hospitalares estão desde esta terça-feira, dia 20 de dezembro, a ser asseguradas por uma ambulância dos Bombeiros do Sardoal e outra da Cruz Vermelha.

Jéssica Filipe

Atualmente a frequentar o Mestrado em Jornalismo na Universidade da Beira Interior. Apaixonada pelas letras e pela escrita, cedo descobri no Jornalismo a minha grande paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *