Secular Filarmónica Aurora Pedroguense cumpre tradição em convívio do borrego. Foto: mediotejo.net

A centenária Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense, de Pedrógão Pequeno (Sertã) realiza todos os anos a 1 de novembro o convívio do borrego, ou “o borrego” como os mais antigos lhe chamam, e este ano voltou a cumprir-se a tradição, com arruada e homenagem aos músicos e sócios falecidos, seguido de um convívio entre músicos e dirigentes.

Tudo começou com uma arruada pela Vila de Pedrógão Pequeno, depois da missa, seguindo-se a romagem ao cemitério para homenagear e lembrar músicos e dirigentes que ajudaram a fazer a história da associação, fundada no ano de 1891. Depois, sim, seguiu-se, o degustar do tradicional borrego, num almoço de salutar convívio e que, de acordo com a tradição, é borrego guisado com batatas.

Muito pouco se sabe sobre as origens desta tradição, tudo leva a crer, que o objetivo desta “festa” era proporcionar um dia de convívio aos músicos e dirigentes da Filarmónica, terminada mais uma época de festas (normalmente a última festa era a de S. Rafael no Bravo no final de outubro). 

Secular Filarmónica Aurora Pedroguense cumpre tradição do 1 de novembro. Foto: mediotejo.net

Rebuscando pela memória de alguns dos fiéis guardiães da história e da mística desta secular coletividade, recuando à década de 40, do passado século XX (embora este costume seja muito mais antigo) verifica-se que no Dia de todos os Santos havia o hábito/tradição de a filarmónica se deslocar a casa de algumas das mais abastadas famílias da freguesia, e aí almoçar e conviver, sendo que o almoço era por norma bacalhau.

Não se conhece ao certo o ano exato, mas um senhor de nome José Amaro, da Várzea, em vez do tradicional bacalhau, serviu como ementa borrego, oferecendo ainda a caldeira para preparar o repasto. E a moda pegou e continua a ser celebrada, sendo que, desde o ano 2004 passou a ser aberto a sócios e amigos da Filarmónica e mais recentemente aos familiares dos músicos, servindo também para apresentar os novos elementos da banda.

Secular Filarmónica Aurora Pedroguense cumpre tradição em convívio do borrego. Foto: mediotejo.net

De parabéns o jovem Rafael Costa e a sua tuba, apresentado este ano como novo elemento e músico da centenária Filarmónica Aurora Pedroguense. No final ouvimos o maestro da banda, Pedro Cordeiro, e o presidente da Sociedade Filarmónica, Manuel Dias.

ÁUDIO | MANUEL DIAS, PRESIDENTE FILARMÓNICA PEDROGUENSE (SFAP):

Manuel Dias (à esq.), presidente da Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | MANUEL DIAS, PRESIDENTE FILARMÓNICA PEDROGUENSE (SFAP):

Pedro Cordeiro, maestro da Banda Filarmónica Aurora Pedroguense. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | PEDRO CORDEIRO, MAESTRO BANDA FILARMÓNICA PEDROGUENSE:

Fotogaleria Zé Paulo Marques/mediotejo.net:

José Paulo Marques

Natural e residente na freguesia de Sabacheira, Tomar, militar na reforma, amante da arte da fotografia, gosta de retratar atividades culturais e desportivas para fazer a sua divulgação, colaborando com vários meios na imprensa local. É um amante inveterado dos animais, da natureza, do silêncio e da leitura.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *