Foto: Pedro Curado

Chegaram a ser mais de 400 os bombeiros, apoiados por dezenas de viaturas e 10 meios aéreos, a combater as chamas em Cabeça das Mós, Sardoal, na sexta-feira. A prioridade, numa área com muitas habitações e aldeias cravadas na floresta, é sempre a de defender pessoas e bens, e só depois o combate ao fogo.

Os habitantes da aldeia de Cabeça das Mós não ganharam para o susto com a proximidade do incêndio mas os soldados da paz conseguiram evitar que qualquer habitação tivesse sido tocada pelas chamas. A mesma felicidade teve este cão de guarda e de companhia que, apesar da proximidade das chamas, conseguiu sobreviver e manter também a sua casinha intacta. Não deve é ter ganho para o susto tal a proximidade das labaredas. A situação, já de acalmia, foi registada pelo 2º Comandante dos Bombeiros Municipais de Sardoal, Pedro Curado.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.