Os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Santarém questionaram o Governo, esta terça-feira, dia 13 de março,  sobre o estado de conservação das diversas pontes existentes no distrito e se pode assegurar se são seguras ao trânsito rodoviário e ferroviário.

Num requerimento entregue no parlamento motivado pela decisão tomada no passado sábado pelos municípios do Cartaxo e de Salvaterra de Magos de encerramento da ponte Rainha D. Amélia, que liga os dois concelhos (reaberta esta terça-feira), os deputados perguntam de quem é a responsabilidade da manutenção, conservação e segurança desta infraestrutura e que diligências pretende o Governo desenvolver para resolver os problemas existentes.

Por outro lado, perguntam qual é “o plano de conservação e manutenção, incluindo o calendário de intervenções que o Ministério do Planeamento e Infraestruturas tem para o distrito de Santarém em infraestruturas rodoviárias e ferroviárias”, lamentando que o investimento público no distrito tenha sido “substancialmente menor nos últimos dois anos do que em qualquer dos piores anos de austeridade da ‘troika’”.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Boas questões, tão pertinentes como eram há 3 ou 4 anos. A velha ponte fica resolvida quando as barreiras de Santarém caírem e isso vai acontecer num inverno qualquer que seja mais rigoroso. Esperamos e desejamos que não seja já este ano. E quando as barreiras caírem o problema ferroviária fica também resolvido acabando-se assim a ligação ferroviária entre o norte e o sul. É tudo uma questão de tempo. É certo que há anos pensaram nesse problema e até fizeram um projecto de uma variante ferroviária a Santarém, mas o projecto foi para uma gaveta qualquer e não sei se alguém sabe dele.
    A Ponte Salgueiro Maia, essa nunca foi bem acabada e não sei se já tem uma iluminação decente. Já teve obras mas aquilo começou mal e não sei se acabará bem.
    Mas há mais pontes. A da Chamusca, depois das obras ficou uma vergonha. Não se podem cruzar dois camiões e em dias de nevoeiro há ali sempre problemas. Fizeram obras que serviram para complicar o que estava bem.
    A Ponte da Praia do Ribatejo, alguém sabe como é que está sua segurança? Eu não sei, mas duvido. Mas é pena se ela fecha de um dia para o outro porque faz muita falta para ligar as duas partes do concelho de Constãncia e para ligar os dois maiores aglomerados de forças armadas deste país – Tancos/Entroncamento e Santa Margarida – e também serve para se ver como os esgotos da poluição ali ao lado são despejados a olho nu …
    Mas falta outra ponte. A que falta fazer para acabar o IC3, ou A13, como lhe queiram chamar, para ligar finalmente Almeirim ao Entroncamento e acabar com aquele trânsito perigoso, especialmente no que respeita ao transporte de toneladas e toneladas de matérias perigosas a caminho dos CIRVER na Carregueira e a atravessarem Almeirim, Alpiarça, Vale de Cavalos e Chamusca com todos os perigos tão conhecidos quanto ignorados.
    Que dizer mais das pontes? Que lhes façam a manutenção de acordo com as regras conhecidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.