O Governo já autorizou, a nível nacional, 29 centrais fotovoltaicas sem tarifa subsidiada, que correspondem a 967 megawatts de potência instalada e a um investimento potencial de cerca de 740 milhões de euros. No distrito de Santarém, o investimento em três centrais ascende a um investimento na ordem dos 50 milhões de euros.

Deste montante, [740 milhões de euros] cerca de 76 megawatts de potência instalada autorizada, representando 3 centrais e um investimento previsto de cerca de 51 milhões de euros, está localizada precisamente no distrito de Santarém, (uma no Infantando/Santarém e duas em Salvaterra de Magos/Granho e Mexeeiro), região do Ribatejo que, a par do Alentejo e Algarve, constitui um dos locais que mais têm atraído os investidores.

“A este montante global soma-se mais de 2000 MW de pedidos de licenciamento em todo o país (cerca de 150 centrais) em fase de análise na Direção Geral de Geologia e Energia, refletindo o forte interesse demonstrado por investidores nacionais e internacionais”, refere o Ministério da Economia, em comunicado.

“O investimento nas energias renováveis, agora numa lógica de regime de mercado, a par do reforço das interligações elétricas com os países vizinhos, constituem duas peças chave da estratégia do Governo para o setor energético, tendo em vista a sustentabilidade do sistema elétrico nacional e a redução das tarifas das famílias e das empresas”, pode ler-se na mesma nota.

 

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.