Cheias de 1979 lembradas em exposição e painéis de azulejo. Foto: JF Rio de Moinhos

A freguesia de Rio de Moinhos, em Abrantes, assinalou este domingo, dia 10 de fevereiro, os 40 anos das Grandes Cheias do Tejo, com a inauguração da exposição ‘1979 Grandes Cheias do Tejo’, patente no Centro de Apoio a Idosos, seguindo-se uma visita pelas ruas da freguesia de Rio de Moinhos aos painéis de azulejo comemorativos da efeméride.

Há precisamente quatro décadas, Rio de Moinhos vivia momentos de grande desespero. O Tejo tinha galgado as suas margens e as suas águas tinham invadido as ruas da freguesia.

Foto: JF Rio de Moinhos

No domingo, perante muitos populares, assinalou os 40 anos das maiores cheias do rio Tejo, recordando a força dos seus antepassados e do povo riomoinhense. A exposição “1979 – Grandes Cheias do Tejo” está patente, no Centro de Apoio a Idosos, até final do mês de fevereiro e os Painéis de Azulejo eternizam a sua memória.

Foto: JF Rio de Moinhos

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *