Foto: D.R.

O executivo municipal de Ourém aprovou por unanimidade na segunda-feira, 1 de junho, um voto de pesar pelo falecimento de Luís Vieira Marques, fundador da Casa do Povo de Fátima.

“Faleceu, aos 88 anos de idade, o fundador da Casa do Povo de Fátima, Luís Vieira
Marques. O processo de fundação, daquela que é uma das associações mais antigas da freguesia de Fátima, teve início a 11 de setembro de 1969, mas só foi oficializado em 1970. A Casa do Povo de Fátima foi formalmente constituída com estatutos aprovados por alvará do subsecretário de Estado do Trabalho e da Providência a 12 de março de 1970, com duas componentes de atividade: a social e a cultural”, refere texto do voto de pesar.

“Luís Vieira Marques dedicou grande parte da sua vida à comunidade de Fátima. Os
fatimenses e o país devem-lhe parte da preservação do património cultural do nosso
povo. O seu trabalho nem sempre foi reconhecido, mas foi acarinhado por muitos.
Defensor das tradições populares, foi responsável pelo Rancho Folclórico da Casa do
Povo, criando, anos mais tarde, o Rancho Infantil da Casa do Povo de Fátima, onde era
carinhosamente conhecido e tratado por “Ti Luís””, continua.

Luís Marques foi ainda fundador da Associação Folclórica da Região de Leiria-Alta Estremadura. Esteve ainda ligado ao então Centro Paroquial de Fátima. Entre
1974 e 1976, foi presidente de junta de freguesia de Fátima.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.