O executivo PSD-CDS levou à reunião privada de segunda-feira, 16 de julho, o balanço prometido da Feirourém, iniciativa que marcou as Festas da Cidade e concentrou o esforço financeiro de outros eventos que deixam de ser realizados, nomeadamente a Festa da Juventude, a Feira de Produtos da Terra e a Festa do Emigrante. No geral houve prejuízo em termos de investimento/receitas, mas o presidente da Câmara, Luís Albuquerque (PSD), constata a poupança verificada em relação a outros anos.

Segundo os dados divulgados pelo município, a Feirourém representou uma despesa total de 131.402,46 euros (valores com IVA) e uma receita de 30.614,56 euros, ou seja, um valor final de 100.787,90 euros de diferença, com balança negativa.

“Contudo, é importante referir que este evento aglutinou o esforço financeiro de outros que, na prática, acontecia ano após ano”, frisa o documento lido por Luís Albuquerque na sessão. “Em 2017, a Festa do Município teve um custo de 120.977,25 euros. Para além disso, realizou-se ainda a Festa do Emigrante com um custo de 36.712,60 euros, a Feira dos Produtos da Terra, com um custo de 53.395,80 euros (com receitas incluídas) e a Festa da Juventude, com um custo de 25.159,50 euros”.

Feitas as contas, há na prática este ano uma poupança de 136 mil euros, uma vez que não se vai realizar mais nenhum dos outros eventos, constatou.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.