Durante o dia de sábado, 16 de junho, em organização da Associação Magalhães em parceria com a Câmara Municipal de Mação, realizou-se o AssociaMação – I Fórum Associativo do Concelho de Mação, no Auditório do Centro Cultural Elvino Pereira. Foto: mediotejo.net

Fomentar um debate em torno da possível criação de uma plataforma associativa que agregue as cerca de 90 associações, cooperativas e IPSS de Mação é o resultado do AssociaMação – I Fórum Associativo do concelho que decorreu no sábado, numa organização da Associação Magalhães, em parceria com a autarquia.

A criação de uma “associação de associações” poderá ser uma forma de potenciar o trabalho desenvolvido por cada entidade, e um dos caminhos que respondam às exigências e desafios atuais, quer em termos de ações de formação, quer de benefícios de uma central de compras ou de uma agenda concertada de eventos, entre outras, e que ajudem a tornar o tecido associativo do concelho de Mação cada vez mais bem preparado e com respostas mais eficazes nas suas comunidades, defenderam muitos dos presentes, entre eles Cláudia Cordeiro, coordenadora do CLDS 3G ‘Opção Mação’, que apresentou o projeto.

“Foi colocada hoje uma semente a germinar e vamos tentar um enquadramento, através da discussão que vai continuar a ter de ser feita e em próximas reuniões de trabalho”, observou, tendo destacado que os diversos dirigentes associativos presentes no Fórum “realçaram no debate  os aspetos mais positivos da ideia e foram ativos na discussão deste projeto”, que procura contribuir de forma positiva para o desenvolvimento local.

Cláudia Cordeiro, coordenadora do CLDS 3G ‘Opção Mação’. Foto: mediotejo.net

Sob o mote “Sozinhos podemos ir mais depressa, mas juntos vamos mais longe”, o projeto AssociaMação propõe uma ação concertada entre todos os elementos da rede social, especialmente num concelho com necessidades tão específicas e características tão particulares, com a utilização dos sistemas de informação e de gestão, e promoção do acesso a um variado leque de informações, sempre atualizadas, como concursos, programas de apoio, legislação aplicável, entre outros.

Defende ainda como vantagens conjuntas a publicitação de eventos, reuniões e convocatórias, o acesso a plataformas de e-learning potencialmente úteis no âmbito da formação, a possibilidade de realização de crowdfundings, e acesso a informações úteis e com potencial empreendedor, entre outras, para além de conferir maior visibilidade e competitividade.

Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação, acompanhou o Fórum ao longo de todo o dia de sábado, tendo referido ao mediotejo.net estar ”muito satisfeito” com a dinâmica evidenciada pelo tecido associativo e dirigentes concelhios. Segundo o autarca, a ideia de criar um projeto interassociativo que dê escala e potencie o trabalho que atualmente se desenvolve entre as entidades associativas e a própria autarquia é um projeto que o próprio município tem incentivado.

“Por parte da Câmara podem contar com toda a nossa abertura para apoiar, mas cabe às associações decidir o caminho a seguir”, ressalvou.

Ao centro, Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação, ladeado por Daniel Jana, da Associação Magalhães, e António Louro, vereeador. Foto: mediotejo.net

Durante o dia de sábado, 16 de junho, em organização da Associação Magalhães em parceria com a Câmara Municipal de Mação, realizou-se o AssociaMação – I Fórum Associativo do Concelho de Mação, no Auditório do Centro Cultural Elvino Pereira.

O Fórum Associativo promoveu um dia de debate com envolvimento e participação de várias associações concelhias, abrindo espaço para a partilha de experiências e reflexão durante toda a tarde, tendo ainda contado na parte da manhã com os contributos de diversas entidades nacionais ligadas ao tema, e que partilharam conhecimentos e experiências, e intervieram sobre a promoção de programas de apoio ao desenvolvimento associativo, entre outros.

Em declarações ao mediotejo.net, Daniel Jana, presidente da Associação Magalhães de Mação, disse, em jeito de balanço, que o Fórum “foi uma aposta ganha”, apesar de um dia longo e de muito trabalho e discussão.

“O Fórum foi muito vivo por parte dos participantes, gerou discussão participada em torno de assuntos de interesse comum, e a ideia de uma Associação de Associações poderá ser uma realidade em Mação e um exemplo para a região em termos de caminho a seguir. Mas há muita pedra a partir e discussão para fazer, e em outubro voltaremos a falar do tema, ente todos”, assegurou.

Daniel Jana, presidente da Associação Magalhães de Mação. Foto: mediotejo.net

O evento contou com a apresentação do Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo por parte de Vasco Estrela, Presidente da Câmara Municipal de Mação, seguido de uma Mesa Redonda subordinada ao tema “O Associativismo em Portugal e a importância do Associativismo no Interior: que rumo, que apoios?” e de um debate sobre “Os Valores do Associativismo: Democracia e Liderança; Gestão e Comunicação; A Função Social do Associativismo; A Dimensão Socioeconómica do Associativismo”.

Neste último participaram Nuno Serras, Vice-Presidente da Associação de Estudantes da EB 2,3/S de Mação, Daniel Jana, Presidente da Associação Magalhães de Mação, João Espírito Santo, Presidente da Associação Desportiva de Mação, Nuno Cordeiro, representante do MAC TT – Clube Todo o Terreno de Mação, Flávio Santos, Presidente do Centro Cultural e Recreativo de Queixoperra, António Manuel Silva, representante do Centro de Dia de Vales, Nuno Lobo, representante da Cooperativa de S. José das Matas, Abílio Diogo, Presidente da Associação de Caçadores de Penhascoso, e Vera Dias António, Presidente da Associação de Pais de Mação.

O Fórum culminou com a apresentação do projeto AssociaMação, por intermédio de Cláudia Cordeiro, Coordenadora do CLDS 3G “Opção Mação”

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.