Foto: mediotejo.net

Uma casa de primeira habitação ardeu nesta tarde de quinta-feira, 10 de agosto, no incêndio de Aldeia do Mato, Abrantes, que se encontra a consumir uma zona de povoamento florestal desde as 18h14 de quarta-feira. Ficaram desalojadas cinco pessoas. Pelas 18h50 encontravam-se no local 659 operacionais dos Bombeiros, auxiliados por 208 veículos e oito meio aéreos. Aguarda-se agora pela chegada da noite e as mudanças climatéricas para redefinir a estratégia de combate.

Segundo a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, o fogo neste momento está a propagar-se no sentido de Martinchel e concelho de Constância. O foco de Tomar já foi controlado.

Em declarações à Lusa, a presidente da autarquia disse que o incêndio “está longe de estar controlado”, tendo informado que foram evacuadas, “por precaução”, as aldeias de Medroa, Braçal, Amoreira, Pucariça, nas freguesias de Aldeia do Mato e Souto, Rio de Moinhos.

Cerca de 50 “pessoas [destas aldeias] estão a ser dirigidas para o Regimento de Apoio Militar de Emergência” (RAME), no Quartel Militar de Abrantes, acrescentou, tendo referido ainda que as chamas já haviam alastrado às localidades de Paul, Sentieiras e Alto da Chainça, na União de Freguesias de Abrantes, e à localidade de Pucariça, na freguesia de Rio de Moinhos.

Também as populações de Aldeia do Mato e de Carreira do Mato “estão ameaçadas”, indicou a autarca, tendo referido que o vento “mudou de direção” e está “a propagar o incêndio até à freguesia de Martinchel”, ainda em Abrantes e na fronteira com o concelho de Constância.

Foi na Aldeia do Mato que as chamas consumiram uma casa de primeira habitação, tendo ficado desalojadas cinco pessoas, que se encontravam na praia fluvial. Não há porém feridos a registar.

Estão no local a combater este incêndio, com três frentes ativas, segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), 659 operacionais, 208 viaturas e oito meios aéreos, tendo Maria do Céu Albuquerque referido esperar pelo “reforço de mais 5 meios aéreos nacionais e internacionais, confirmado pela ministra da Administração Interna”, e que “vão operar enquanto não anoitecer”.

A câmara municipal recomendou aos veraneantes para abandonarem a praia fluvial de Aldeia do Mato, por precaução, e Maria do Céu Albuquerque explicou que “a dificultar o combate ao incêndio está o vento forte, muito calor e humidade nula”.

O incêndio deflagrou às 18h14 de quarta-feira na União de Freguesias de Aldeia do Mato e Souto, no concelho de Abrantes.

Segundo a página da ANPC estão cortadas as estradas EN 358, EM 544, e EM 1212-1.

c/Lusa

 

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.