O Marinhais garantiu no domingo a subida à 1ª Divisão Distrital de Santarém ao conquistar uma vitória por margem mínima (0-1), frente ao Glória do Ribatejo, no campo deste. Duarte Bona foi o marcador do único golo da partida e que assegurou o regresso do Marinhais à divisão maior de Santarém após 16 anos de ausência.

A jornada 9, penúltima do Apuramento de Campeão da 2ª Divisão Distrital, ditou que o Glória do Ribatejo jogasse em casa com o Marinhais. Duas equipas que estavam na luta pelos dois lugares que restavam para garantirem a passagem à divisão principal do distrito, uma vez que O União de Santarém foi o primeiro conjunto a assegurar um lugar no pódio. O Glória e o Marinhais estavam a dividir os mesmos pontos (14) no segundo e terceiro lugar, respectivamente. A equipa da casa vinha de uma vitória em Tramagal e de um empate frente à União de Santarém, enquanto os visitantes tinham duas vitórias seguidas, uma vitória caseira perante a União de Santarém, e outra fora, em casa do Atalaiense.

O Campo dos Carvalhos foi palco de uma final antecipada, pois caso houvesse uma equipa a conquistar os três pontos carimbava de imediato o passaporte para a 1ª Divisão.  A chuva acalmou e o campo estava repleto de adeptos com as duas claques a serem fundamentais para o colorido na grande festa do futebol.

A claque do Marinhais bastante animada

O Glória até entrou bem nos primeiros minutos, causando algum perigo junto à baliza defendida por João Nicolau. Gelson era o jogador que mais procurava o golo. O cabo-verdiano podia ter colocado o Glória à frente do marcador logo no minuto 5. Cruzamento pelo lado direito e o esférico encontra o jovem avançado na grande área que, com um remate com o pé direito, fez a bola passar junto ao poste esquerdo.

Depois de tantas dificuldades em sair do seu meio-campo, o Marinhais tentou equilibrar o encontro, distribuindo o seu jogo em todo o terreno e a realizar muitas variações de flancos. Pecava apenas no último passe, que possibilitasse a finalização.

O jogo corria com um bom ritmo, com jogadas bastante disputadas em todo o terreno de jogo e assistiu-se a boas construções ofensivas por parte de ambas as equipas. Gelson teve novamente a oportunidade de fazer a alegria dos adeptos, com um remate forte e rasteiro junto à entrada da grande área, mas João Nicolau fez uma boa defesa, embora incompleta. Na recarga, o lateral esquerdo, João, atirou ao lado.

Grande oportunidade para o Glória

Nuno, de bola parada, criou calafrios para a baliza do Marinhais. Num livre sobre a esquerda, o camisola 11 rematou para as redes defendidas por João, e este realiza uma excelente defesa com a bola ainda a bater no travessão. A defesa aliviou o perigo.

Perto do final do primeiro tempo, André Encarnado, guarda redes do Glória, realiza mais uma grande defesa. Canto batido pela esquerda e Salvador, de primeira, remata na pequena área com André a mostrar reflexos e a anular aquele que poderia ser o primeiro golo da partida.

O Glória foi quem teve mais oportunidades de golo, mas quem não marca normalmente sofre, e foi isso que aconteceu no minuto 41. Duarte Bona, praticamente isolado, consegue bater André na grande área e a festa fez-se sentir na equipa e nos muitos adeptos que viajaram de Marinhais. A equipa do Glória ainda reclamou uma falta no lance do golo mas o árbitro assim não entendeu.

Jogo muito disputado com lances bem construídos

A equipa do Glória criou mais oportunidades de golo na primeira parte mas o Marinhais conseguiu equilibrar e foi mais eficaz, chegando em vantagem ao final dos primeiros 45 minutos.

16 anos depois, Marinhais faz a festa

No regresso ao relvado, a equipa do Glória faz duas alterações, entrou Bruno e André para os lugares de Silvestre e de Rui Póvoas. Sinal que equipa da casa queria mudar o rumo dos acontecimentos.

Duarte Bona, que já tinha o “pé quente”, quis bisar no marcador. Remate com o pé direito junto à entrada da grande área, com o esférico a passar por cima da baliza defendida por André Encarnado. O Marinhais, ais sereno, queria aumentar a vantagem, ao passo que o Glória, nos primeiros minutos do segundo tempo, não conseguia chegar perto da baliza adversária.

O Marinhais controlava bem a sua vantagem, com o seu meio-campo bem organizado e compacto, fazendo boas movimentações ofensivas a procurar profundidade e o erro do adversário.

Jogo com muitas disputas individuais

Ambas as equipas procuraram fazer ajustes táticos e operaram algumas mudanças. O Marinhais colocou em campo Vitor e Afonso para substituir Tiago Polinário e Rafael Oliveira. O Glória colocou Fábio Monteiro no lugar de Nuno, moldando assim o sistema táctico. Gelson passou a jogar na posição de ponta de lança, enquanto o recém entrado Fábio Monteiro jogou a extremo esquerdo.

Num lance de bola parada, num livre frontal à baliza do Marinhais, João desfere um forte remate forte com o esférico a passar por cima da baliza. Mais uma oportunidade desperdiçada para os homens da casa.

Perto do apito final, a equipa visitante fazia mais pressão sobre o jogador que transportava o esférico, bloqueando os lances ofensivos, criando ao Glória muitas dificuldades logo na sua primeira fase de construção de jogo.

As cores amarelas (Glória) e azuis (Marinhais) preencheram o Campo dos Carvalhos

Filipe ainda entrou para o lugar do camisola 21, Ricardo, esgotando assim as alterações a equipa orientada por Rogério.

Paulo Raposo, deu 7 minutos de compensação, e nesse tempo de jogo, houve um lance em que o Glória manifestou-se por haver uma grande penalidade que alegadamente não terá sido assinalada na pequena área do Marinhais.

Marinhais sobe à 1º Divisão Distrital após 16 anos

Já com os adeptos do Marinhais em festa, o arbitro fez soar o apito final. O Marinhais com esta vitória frente ao Glória conseguiu garantir a subida à 1ª Divisão Distrital, 16 anos depois.

A festa fez-se com uma invasão de campo por parte dos adeptos a juntarem-se às comemorações com os seus heróis.

Marinhais junta-se assim à União de Santarém, garantindo a subida, enquanto o Glória tem que esperar pela última jornada e tentar vencer o Rio Maior para ser a terceira equipa a estar presente na próxima temporada na 1º Divisão Distrital de Santarém. Neste momento, Rio Maior e Glória são as duas equipas que podem ocupar a última vaga.

Na jornada 10 e última desta fase de Apuramento de Campeão, o Rio Maior recebe em casa o Glória e o Marinhais joga frente à equipa da vila metalúrgica, o Tramagal.

Onze iniciais:

Glória: André Encarnado, Daniel, João, Ricardo, Silvestre (Bruno), Jorge, Nuno ( Fábio Monteiro), Rui Póvoas (André), António, Ricardo (Filipe), Gelson Sanches  Suplentes não utilizados: Fábio,Paulo Oliveira, Marcelo.

Treinador: Rogério Fernando

Marinhais: João Nicolau, Tiago Ferreira, António Maia, Salvador, Bruno Mendes, Rafael Carvalho, Mauro Conceição, Rafael Oliveira (Afonso), Luís Santos (Rui), Tiago Polinário (Vitor), Duarte Bona Suplentes não utilizados: Pedro, Tiago Coutinho, Bruno, Nuno

Treinador: Pedro Lourenço

Equipa de arbitragem: Paulo Raposo, Pedro Freire, Manuel Mendes

Entrevista ao técnico adjunto do Marinhais, Ricardo Pilré.

*Técnico do Glória do Ribatejo disponibilizou-se a prestar declarações depois de falar com os seus jogadores. Por indisponibilidade do jornalista, não foi possível recolher a opinião do treinador do Glória.

Tiago Soares

É no futebol que Tiago Soares exprime todas as suas emoções e paixão pelo desporto-rei, vertente cujos estudos teóricos aprofunda na ESTA. Aos 24 anos, assume a ambição de abraçar uma carreira profissional no jornalismo desportivo, transcrevendo no mediotejo.net as histórias e alegrias que o desporto abraça.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.