A formação de S. Miguel foi impotente para travar o Bairrense.

C. P. S. MIGUEL DO RIO TORTO 0 – G. C. D. R. BAIRRENSE 3

Campeonato Distrital de Santarém do Inatel – 2ª fase / Grupo A2 / 5ª jornada

Campo Farinha Pereira – São Miguel do Rio Torto – 23-02-2019

O Bairrense amealhou três preciosos pontos numa vitória justa.

As equipas entraram cautelosas em campo, pois sabiam que não havia grande margem de manobra na gestão de pontos a conquistar já que o campeonato entra numa fase decisiva e isso se revelou no equilíbrio registado ao longo de todo o primeiro tempo de jogo.

Apenas aos 20 minutos, o Bairrense assustou o último reduto dos locais com André Bento a falhar um golo cantado após boa iniciativa atacante e cruzamento de Fábio Silva. A bola passou a centímetros do poste direito da baliza à guarda de André. A mesma dupla, poucos minutos depois, tentou a sorte, mas a bola teimava em não levar a direcção certa.

Muita entrega por parte dos jogadores, mas as oportunidades de golo escassearam na primeira metade da partida.

Muita entrega por parte dos jogadores, mas as oportunidades de golo escassearam na primeira metade da partida pelo que a igualdade a zero se justificava aquando do apito do árbitro José Bento a indicar os balneários para o descanso. Contudo, o Bairrense parecia ser a equipa mais esclarecida em campo tendo desperdiçado nova tentativa mesmo no encerramento, desta feita por Miguel Reis.

Após o reatamento, a resistência do S. Miguel apenas durou três minutos pois Nazar Hentsar aproveitou a desatenção da defesa caseira para se desmarcar e fuzilar a baliza de André, fazendo o primeiro do jogo, e desbloqueando uma partida que parecia estar enrolada e de difícil resolução de parte a parte. Melhor recomeço não poderiam ter os homens de Vasco Pereira.

A equipa da Casa do Povo de S. Miguel trabalhava para tentar reduzir mas sem sucesso.

O S. Miguel tentou reagir, mas em “contragolpe” o Bairrense fez o 0-2 aos 12 minutos da segunda parte. Aproveitando uma defesa incompleta de André, o incansável Fábio Silva apareceu no local certo e à hora certa, agradeceu a “oferta” do guardião de S. Miguel e ampliou a vantagem no marcador para a sua equipa.

Porém, um minuto após a obtenção do segundo tento, os forasteiros viram-se reduzidos a dez elementos por expulsão com cartão vermelho directo a João Ferreira. Com muito tempo ainda para jogar, poderia pensar-se que o S. Miguel ainda conseguiria dar a volta à contenda, mas, após este episódio, o Bairrense baixou as linhas com algumas mudanças no seu “xadrez” e, por muita vontade que os locais tivessem, apresentava-se difícil derrubar aquela muralha recuada e bem organizada.

Celebração bastante efusiva do 3º golo do Bairrense.

A equipa da Casa do Povo de S. Miguel trabalhava para tentar reduzir aproveitando o facto de jogar com mais um homem, mas nem as bolas bombeadas para a área nem nos lances de bola parada conseguiam os seus intentos. Na sequência da “máxima” futebolística de que “quem não marca, sofre”, o Bairrense fecha o marcador quase no términos da partida.

Livre apontado por Bruno Ferreira no enfiamento da grande área, junto à linha lateral direita do seu ataque e, de cabeça, o capitão Luís Ribeiro respondeu de forma perfeita para felicidade de jogadores e adeptos que vieram do concelho de Ourém.

Não haveria muitos mais tempo para jogar, com o Bairrense a amealhar três preciosos pontos numa vitória justa, numa partida onde o S. Miguel nunca conseguiu contrariar a maior clarividência dos forasteiros. Arbitragem regular e sem interferência no resultado.

Vitória justa do Bairrense perante um S. Miguel sem soluções.

FICHA DO JOGO:

C. P. S. MIGUEL DO RIO TORTO:

André, Manuel Gaio, Duda, João Serra, Fefé, Zé Mau, Cabaço, Amendoim, Miguel Jesus, Gonçalo Oliveira (cap.) e Careca.
Suplentes: João Carlos, Nuno Alegria, Ricardo Gomes, Gil, Fernando Gomes e Ricardo Apura.
Treinador: Gonçalo Oliveira.

Formação inicial do S. Miguel.

G. C. D. R. BAIRRENSE:

Luís Oliveira, Fábio Silva, Pedro Pereira, João Ferreira, Bruno Ferreira, Luís Ribeiro (cap.), Diogo Reis, Miguel Reis, Rui Santos, André Bento e Nazar Hentsar.

Suplentes: João Reis, Alexandre Reis, Pedro Bento, Vitalii Fediavev, Pedro Gil e André Pereira.

Treinador: Vasco Pereira.

Equipa do Bairrense.

GOLOS:
Nazar Hentsar, Fábio Silva e Luís Ribeiro (Bairrense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:

José Bento, Rui Oliveira e Vítor Custódio.

Trio de Arbitragem com respectivos Capitães das equipas.

No final do encontro, ambos os técnicos estavam de acordo em relação à justiça sobre o vencedor:

Treinador / Jogador do S. Miguel – Gonçalo Oliveira

 

Treinador do Bairrense – Vasco Pereira

José Belém

A grande “culpada” é uma velhinha máquina de escrever Royal esquecida lá por casa e que me “infectou” para uma vida que se revelou mais tarde não fazer sentido sem o jornalismo. O primeiro boletim da paróquia e o primeiro jornal da pequena aldeia onde frequentava a escola (tinha apenas 7 anos de idade) entranharam-me a alma (e o sangue) deste “vício” de escrever e comunicar. Seguiram-se os pequenos jornais de turma, os das escolas, os painéis informativos colocados nas paredes dos átrios e o dos escuteiros... e nunca mais o “vício” sarou. Ao longo da vida, foram vários e diversificados os ofícios exercidos profissionalmente, mas o “mar dos desejos” desaguava sempre numa folha de papel ou (mais tarde) num portátil de computador (e sempre com a máquina fotográfica como companhia). Já mais "a sério” e desde jornais regionais, rádios locais, periódicos nacionais e televisão (TVI), já são mais de 45 anos de um percurso “académico” de alguém que pouco se importa de não possuir um “canudo”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *