logótipo Emissor Regional do Zêzere Foto: ERZ

A estação de rádio Emissor Regional do Zêzere (102.7 FM), da Associação Cultural e Regional Emissor Regional do Zêzere, encontra-se em risco de fechar. A antena teve uma avaria que já foi arranjada, mas segundo o presidente da Câmara de Ferreira do Zêzere, Jacinto Lopes (PSD), que é também presidente da associação, não há simplesmente pessoas para manter a rádio a funcionar e a instituição não tem condições de pagar funcionários.

O tema foi levantado pelo vereador Bruno Gomes (PS) na reunião camarária de 26 de abril, quinta-feira, questionando o ponto de situação da rádio que, tendo a antena com problemas, deixou de funcionar. Jacinto Lopes adiantou que a antena já estava arranjada, porém mantinha-se o problema da sustentabilidade da estrutura.

“Estamos num processo negocial para dar um rumo àquilo”, explicou, referindo que a rádio só tem condições de continuar à base de radialistas voluntários, uma vez que o negócio não é sustentável ao ponto de se pagarem funcionários. O mediotejo.net questionou o presidente sobre qual a solução que está a ser equacionada, mas o autarca e líder associativo preferiu não adiantar mais informação.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Entre na conversa

2 Comentários

  1. Ridiculo como uma radio que teve um destaque zstronomicamente grande em comparacao com as concorrentes, consegue entrar em colapso, segundo o que conhecia, esta radio era muito mais concorrida na area publicitaria e ouvintes frequentes mantendo a sua preferencia em diversas fases. desde espacos de publicidade e entretenimento, bons programas informativos entre os demais em que se destacava a qualidade por excelencia desenvolvida bpelos seus colaboradores, sendo uma radio com tamanha capacidade, como e possivel obter um colapso fenomenal ? Chamo-lhe fenomenal porque existem radios com muito menos e conseguem-se manter em funcionamento, um dos exemplpos e a radio cidade de Tomar que por ou mesmo pela dua mediucre capacidade laboral, permanece em funcionamento, entao expliquem-me voces o que se passou se a radio tinha mais de 50% a mais de capacidade comparado com a agora referenciada, como e possivel nem ter dinheiro para pagar reparacoes e a funcionarios ? Quantos anos teve em atividade ? Quanto lucrou nesse tempo todo ? Para onde foi esse dinheiro ? A isso eu chamo gestao danosa e esta claro que esta visto, basta pensar um pouco e nem tao pouco e necessario ver provas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.