Um deslizamento de terras na estrada de acesso a Dornes impediu a circulação na via na quarta-feira. O acesso a Dornes fez por estrada alternativa tendo já sido reaberta ao trânsito. Foto: PCCMFZ

O presidente da Câmara de Ferreira do Zêzere assegurou que já é possível circular na Estrada Municipal (EM) 521 entre Dornes e Vale Serrão, após ter estado encerrada desde quarta-feira devido a um deslizamento de terras. A ligação à aldeia de Dornes esteve a ser feita a partir de uma outra via.

“Nesta altura, há a possibilidade de circular nessa estrada”, disse à Lusa, Bruno Gomes (PS), pelas 21:00 de quinta-feira, adiantando que foram colocados separadores de betão tipo “New Jersey” para “precaver mais derrocadas e, eventualmente, se voltarem a acontecer não haver um corte da estrada”.

De acordo com o autarca, a Proteção Civil municipal está a acompanhar a situação.

“A situação está precavida pela Proteção Civil e pelos serviços técnicos do município, portanto, nada de alarmismos. Está tudo a correr conforme o previsto. Agora temos de deixar que o tempo permita fazer uma intervenção maior”, salientou.

À Lusa, Bruno Gomes referiu ainda que terá de ser feito um estudo técnico por uma empresa aos “dois ou três taludes” naquela via.

“O município tem um estudo alargado acerca de um conjunto de taludes por todo o concelho o que, na altura, implicaria um investimento de sete milhões de euros, hoje seria muito mais”, atentou.

“De qualquer modo, vamos deixar estabilizar essa situação, vamos fazer um estudo técnico com uma empresa especializada, relativamente àquela situação em específico e vamos perceber o que é que nos dizem relativamente à melhor técnica para a consolidação daqueles taludes e para evitarmos problemas no futuro”, acrescentou.

Segundo explicou à Lusa o Comandante Distrital de Operações de Socorro de Santarém, David Lobato, devido às chuvas deslizou uma das barreiras elevadas existentes na zona.

Durante a tarde de ontem David Lobato dizia à Lusa que seria necessário construir muros de contenção.

A ligação à aldeia de Dornes esteve a ser feita a partir de uma outra via, a qual, dadas as características do terreno, não está isenta de sofrer igualmente os efeitos de alguma derrocada, acrescentou o responsável, assegurando que a Proteção Civil municipal está a acompanhar a situação.

Ainda segundo David Lobato, caso ocorra nova derrocada, a Proteção Civil tratará de encontrar forma de não deixar as populações isoladas.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *