Foto: Paulo Jorge de Sousa

Estamos na região do Médio Tejo, pelo menos até que a política não “invente” outra forma de administração do território ou outra designação para baralhar mais ainda, seja lá com que objetivo for. E também estamos no centro, no meio, a metade das distâncias entre todos os extremos. Até a Estrada Nacional 2 que ganha nova importância, desta vez turística, passa aqui neste bocadinho.

Com a pandemia a EN2 tornou-se um destino, uma forma de turismo, um local para férias, algumas curtas outras mais longas. E uma forma de conhecer o país.

E enquanto assim for todos podemos ganhar, se organizados nesse sentido, senão acaba por ser uma moda e como todas as modas, dentro de um curto período de tempo outros interesses a substituirão. Esperemos que as entidades respetivas reconheçam este potencial e a possam tornar um atrativo turístico permanente.

*Fotografia: Museu da Geodesia (Picoto), Vila de Rei, setembro de 2020

Paulo Jorge de Sousa

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.