Foto: DR

O Município de Vila de Rei aprovou na reunião de 20 de abril, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, um conjunto de medidas que pretendem apoiar as famílias e as empresas locais face aos constrangimentos e consequências económicas que advêm da pandemia de covid-19. Além da isenção total do pagamento das faturas de água (incluindo saneamento, resíduos sólidos urbanos e taxa de recursos hídricos) nos meses de março, abril e maio, a autarquia dá apoio extraordinário de 1500 euros aos Bombeiros de Vila de Rei e às IPSS por ERPI sob forma de voucher para compras no comércio local. Também os profissionais na linha da frente, recenseados no concelho, poderão aceder ao um voucher de 50 euros para compras no comércio vilarregense, mediante contacto com a autarquia.

Ricardo Aires (PSD), presidente da CM Vila de Rei, admitiu na sessão que o município vilarregense deveria ser o último a tomar estas medidas extraordinárias de apoio no contexto de pandemia, mas referiu que a autarquia “aguardou que o Governo definisse as medidas de apoio à economia e às famílias a nível nacional, podendo agora desenvolver as suas a nível local”.

Os apoios aprovados consistem na isenção total do pagamento de rendas/taxas nos meses de março, abril e maio nas cessões de exploração de instalações municipais e na isenção total do pagamento das faturas de água (incluindo saneamento, resíduos sólidos urbanos e taxa de recursos hídricos) nos meses de de março, abril e maio.

Igualmente aprovada foi também a atribuição de um apoio extraordinário de 1.500€, sob forma de voucher para compras no comércio local, aos Bombeiros e às IPSS por ERPI (Estrutura Residencial para Idosos ou Cidadãos portadores de deficiência) do concelho “face aos seus acréscimos de custos e redução de receitas”.

“As instituições abrangidas por esta medida irão enviar a listagem de funcionários em funções durante o Estado de Emergência para os serviços da Câmara Municipal, que entrará depois em contacto individualmente com todos”, refere a CMVR em nota de imprensa.

Por fim, o município não quis deixar de assinalar o trabalho que tem sido desenvolvido pelos profissionais na linha da frente, tendo atribuído um apoio de 50€ na forma de vale de compras a ser usado no comércio local. Este apoio estende-se a “profissionais de saúde, segurança, forças armadas e prestação de serviços de apoio social e lares residenciais que estejam ao serviço durante o Estado de Emergência”, abrangendo “também as pessoas que, sendo recenseadas em Vila de Rei, cumpriram serviços na linha da frente em outros concelhos”.

Para poderem ter direito ao voucher, deverão enviar um email com declaração da entidade patronal em como estiveram ao serviço durante a epidemia, número de cartão de cidadão e data de nascimento (ou comprovativo de recenseamento) para dfp@cm-viladerei.pt.

Esta ação tem o objetivo de estimular a economia local, apoiando as famílias e o comércio vilarregense, numa tentativa de minimizar os danos causados por toda esta inesperada situação.

Quanto à atribuição dos vouchers para compras no comércio local aos profissionais da linha da frente (recenseados no concelho), às ERPI e aos Bombeiros o Município pretende “reconhecer a importância das suas funções nesta situação de epidemia e, simultaneamente, estimular a economia local”.

Ricardo Aires faz um apelo à população, para que possa fazer as suas compras no comércio de Vila de Rei, a fim de “canalizar a poupança da isenção do pagamento de faturas de água em março, abril e maio para a economia local”.

“O apoio ao comércio vilarregense é uma medida de extrema importância num contexto excecional como o que vivemos atualmente, sendo que esta injeção de capital na economia local será certamente um importante apoio para os nossos comerciantes”, afirma o edil.

O custo estimado deste pacote de medidas situa-se na ordem dos 104.112,15€. “Estes apoios foram muito ponderados, tendo em conta o Orçamento Municipal e com vista a não serem necessárias demasiadas revisões ou alterações ao orçamento”, indicou Ricardo Aires, notando que se trata na totalidade, para já, de mais de 130 mil euros de investimento municipal em ações e iniciativas de proteção e apoio à população, bem como este pacote de medidas concretas de apoio às famílias, empresas, Bombeiros e IPSS, bem como profissionais na linha da frente do combate à pandemia de covid-19.

Foto: mediotejo.net

Medidas de apoio covid-19 representam mais de 130 mil euros de investimento da autarquia

O município destaca ainda outras medidas, nomeadamente o assegurar a alimentação de crianças carenciadas do escalão A e filhos de profissionais de saúde, elementos das forças e serviços de segurança, de proteção e socorro, forças armadas e de prestação de serviços de apoio social nos meses de março, abril e maio (2.325,54€); aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (máscaras cirúrgicas e não cirúrgicas, óculos, fatos de proteção, luvas, toucas, aventais, cobre-sapatos, mangas, etc (6.137,20€); desinfeção de espaços públicos (5.184,75€); aquisição de 34 computadores e equipamentos de acesso à Internet para cedência, por empréstimo, aos alunos com dificuldades financeiros identificados pelo Agrupamento de Escolas de Vila de Rei (12.546,00€); isenção de juros de mora nos meses de março, abril e maio.

Refira-se ainda a criação da Linha de Apoio ao Idoso (para informações sobre comportamentos a adotar e solicitações de auxílio) e Linha de Apoio ao Empresário (obtenção de informações e esclarecimentos sobre os seus direitos), bem como o trabalho no terreno realizado pelo projeto «Um Amanhã + Humano» que estabelece “contactos regulares, apoio psicológico e possibilidade de entrega de medicamentos e géneros alimentícios ao domicílio”.

Assim, as medidas tomadas no sentido de minimizar o impacto, a nível social e económico, da covid-19 nos vilarregenses representam um custo total, até agora, de 130.305,64€.

Ricardo Aires, presidente da CM Vila de Rei, entende que esta é um “conjuntura inesperada” e que está já a “afetar diferentes vertentes da sociedade”. Daí, é entendimento da Câmara de Vila de Rei “auxiliar as famílias e as empresas do concelho a poderem, da melhor forma possível, ultrapassar estes novos obstáculos, injetando dinheiro na economia local”.

O autarca vê este investimento feito pelo município como forma de “minimizar, na medida do possível, as dificuldades sentidas por todos os vilarregenses”, tendo noção que a atual situação já constrangeu “diversos setores da economia do concelho, desde a construção, à industria, ao comércio de retalho, entre outros”.

“O Município de Vila de Rei encontra-se, em permanência, a avaliar a relevância da adoção de medidas adicionais que venham a revelar-se necessárias, face às orientações das entidades competentes e da duração desta pandemia”, termina.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.