Vila de Rei abre Centros de Testagem à população para despiste da covid-19. Foto: DR

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) está a realizar uma média de 30 testes/dia à covid-19 nos hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, continuando este serviço complementar aberto à comunidade que o solicite nesta quadra festiva, seja por marcação ou mesmo em atendimento direto.

Numa análise à primeira semana da realização deste serviço alargado à população, o presidente do Conselho de Administração do CHMT disse que “aquilo que tem sido a campanha de testes feitos no hospital”, ou seja, “a oportunidade ou facilidade que damos aos utentes de, a um custo mais reduzido, poderem fazer os testes – numa semana, ou seja em seis dias, de segunda a sábado, foram realizados no total 183 testes, 168 PCR e 15 antigénio. Dá uma média de 30 testes por dia, o que do nosso ponto de vista é bastante significativo. A preferência foi pelos PCR, que são os de custo mais elevado”, notou Casimiro Ramos.

Dando conta que as recomendações do CHMT á população “vão sempre no mesmo sentido”, ou seja, de “manter o distanciamento, evitar muitos contactos, não frequentar locais com muitas pessoas”, para evitar a propagação do vírus, o responsável lembrou a “experiência do que se passou no passado” no país, por esta altura do Natal, tendo referido que os laboratórios e hospitais do CHMT continuam disponíveis para realizar testes a quem o solicite.

“Nas mesmas circunstâncias, nos mesmos moldes, com marcação, ou se por necessidade chegar ao laboratório por volta das 11h da manhã não lhe será recusado fazer o teste, vai ter é de esperar um pouco, mas de segunda a sexta-feira, nos três laboratórios, e ao sábado em Tomar, vamos manter o serviço. Aliás, com a afluência que está a ter justifica a sua manutenção o que eventualmente até pode crescer com os eventos que possam ocorrer agora nestas duas semanas”, notou.

ÁUDIO | CASIMIRO RAMOS, PRESIDENTE DO CENTRO HOSPITALAR MÉDIO TEJO:

“Os testes podem ser solicitados por qualquer cidadão e para quaisquer fins, independentemente de o motivo estar ou não relacionado com a visita ou acompanhamento de doentes internados no CHMT”, refere a instituição hospitalar, realizando-se “todos os dias úteis, nas três Unidades e também aos sábados, apenas na Unidade de Tomar”.

Segundo afirma o CHMT, “trata-se de uma inovadora iniciativa a nível nacional, que tem como objetivo contribuir para o esforço de testagem nacional, com vista ao controlo da pandemia, oferecendo à comunidade e aos utentes servidos pelos três hospitais do CHMT uma resposta de proximidade e qualidade, dentro da esfera do Serviço Nacional de Saúde”.

O presidente do Conselho de Administração do CHMT, disse que “a testagem é a ferramenta central para o controlo da pandemia e para travar o aumento das cadeias de contágio numa época tão crítica como a do inverno e Natal”, tendo feito notar que “está a verificar-se uma maior procura de testes covid”, devido às medidas complementares que estão em vigor.

“O CHMT não quis ficar alheio a este esforço e, graças ao dinamismo do Diretor do Serviço de Patologia Clínica, reuniu esforços humanos e técnicos dos seus laboratórios para reforçar a sua capacidade de resposta, e assim poder oferecer à população uma alternativa de testagem dentro do Serviço Nacional de Saúde e com custos mais reduzidos”, afirmou Casimiro Ramos.

Os testes realizam-se de segunda a sexta-feira, a partir das 11:00, em qualquer Unidade (Abrantes, Tomar ou Torres Novas), e aos sábados, a partir das 13:00, na unidade de Tomar, sendo resultado do teste comunicado ao utente “até final do dia da realização do mesmo”.

Para a realização de testes de covid-19 nos hospitais do CHMT, cujos preços oscilam entre os 20 euros (teste de antigénio) e os 45 euros (teste PCR), os utentes deverão efetuar a marcação do teste para o número de telefone central de cada uma das Unidades, solicitando encaminhamento da chamada para o Laboratório de Patologia Clínica.

Em alternativa, o pedido poderá ser remetido de forma eletrónica para o mail SPC_marcacao_Covid@chmt.min-saude.pt e, no pedido, o utente deverá referir em que Unidade hospitalar do CHMT pretende realizar o teste.

As visitas diárias a doentes internados no CHMT, por um período máximo de 30 minutos, estão autorizadas mas têm novas regras desde 01 de dezembro, decorrentes da situação de calamidade, sendo “proibido qualquer tipo de contacto físico entre o doente e os visitantes,” a par da “obrigatoriedade do uso de máscara cirúrgica”, de “apresentação de certificado digital”, e de “resultado de teste covid-19 negativo por PCR, realizado nas 72 horas anteriores à sua apresentação, ou resultado de teste de antigénio de uso profissional com relatório laboratorial, realizado nas 48 horas anteriores à sua apresentação”, entre outras.

Constituído pelas unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, separadas geograficamente entre si por cerca de 30 quilómetros, o CHMT funciona em regime de complementaridade de valências, abrangendo uma população na ordem dos 260 mil habitantes de 11 concelhos do Médio Tejo, no distrito de Santarém, Vila de Rei, de Castelo Branco, e ainda dos municípios de Gavião e Ponte de Sor, ambos de Portalegre.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Entre na conversa

3 Comentários

  1. O serviço foi bem idealizado. As colheitas parecem-me que correm bem, mas os resultados demoram a chegar. Eu já estou à espera há mais de 28 horas dado que a colheita foi-me feita ontem cerca das 11 horas e hoje, já passa das 15, 25 e ainda nada sei. Não compreendo…

  2. O serviço foi bem idealizado. As colheitas parecem-me que correm bem, mas os resultados demoram a chegar. Eu já estou à espera há mais de 28 horas dado que a colheita foi-me feita ontem cerca das 11 horas e hoje, já passa das 15, 25 e ainda nada sei. Não compreendo…

    Entretanto passaram mais duas horas que perdi ao telefone com os Hospitais de Torres Novas e de Tomar para onde encaminharam as minhas chamadas que duraram cerca de 1 hora sem que do Laboratório alguém me atendesse… assim não…

  3. Finalmente o resultado, felizmente negativo, veio às 19,28, portanto 32 horas após a colheita e depois de imensas horas ao telefone. Este serviço pode e deve ser melhorado até porque analizar 30 testes por dia não dará assim tanto trabalho. E se fossem 300 como seria?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *