Luís Albuquerque (à direita), mostra algumas das obras em curso no concelho de Ourém. Foto: CMO

“Vimos hoje no concelho de Ourém obras que estão a decorrer no valor de cerca de 13 milhões de euros. E quando alguém diz que o município de Ourém tem nas suas contas bancárias 15 milhões de euros, obviamente que tem, porque senão não poderia fazer face a todo este elevado investimento que está a ser realizado”, começou por esclarecer o Presidente da Câmara na conferência de imprensa realizada na sede da Junta de Freguesia de Freixianda. Luís Albuquerque respondia assim a uma crítica feita pela vereadora da oposição, Cília Seixo (PS), numa das últimas reuniões de Câmara.

Ainda sobre contas, o autarca salientou a “robustez financeira” do Município e a “subida constante dos valores dos investimentos”, graças a uma “gestão sã e criteriosa das contas municipais”. Apontando para um gráfico projetado, destacou a “evolução favorável da dívida a terceiros, contribuindo para o equilíbrio e planeamento futuro”.

Autarcas de Ourém fazem balanço do 1º ano de mandato. Foto: mediotejo.net

Mas o dia que assinalou o primeiro ano do mandato começou pela manhã com a visita a vários locais do concelho onde decorrem, ou decorreram recentemente, intervenções camarárias consideradas de relevo. Da comitiva faziam parte, além do Presidente da Câmara, Luís Albuquerque, os Vereadores Isabel Costa, Rui Vital e Micaela Durão, assim como elementos dos gabinetes de apoio à Presidência e Vereação.

A visita começou em Fátima, onde os autarcas mostraram aos jornalistas o local do futuro parque de estacionamento de Aljustrel (477 mil euros) e onde vão decorrer obras de requalificação do lugar.

Depois de uma passagem pela Av. Nossa Senhora de Fátima, conhecida como estrada da Loureira, recém-concluída (1 milhão e 872 mil euros), a comitiva dirigiu-se para a Atouguia onde foram apresentadas as obras de ampliação do Centro Escolar (1 milhão e 114 mil euros).

ÁUDIO | Presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque

Já em Ourém, e ainda na parte da manhã, foi mostrada aos jornalistas a zona do futuro acesso Mecânico ao Castelo (ascensor), cujo projeto ainda está a ser executado e que inclui a consolidação de algumas zonas da encosta. Seguiu-se para a Rua Maria do Carmo, principal via de acesso à Lagoa do Furadouro que está a ser requalificada (150 mil euros) e para o Jardim das Oliveiras, em Toucinhos, a inaugurar no dia 22 de outubro (124 mil euros).

Não houve tempo para passar pela Estrada da Lameirinha (E.M. 607) que liga o concelho de Ourém ao de Tomar, cujos trabalhos de requalificação estão concluídos (282 mil euros).

Seguiu-se para a EN 356, ligação da Zona Industrial à Rotunda do IC9, em fase de conclusão (1 milhão e 800 mil euros para a estrada e mais 240 mil euros para os muros), a inaugurar “muito em breve”.

Ringue construído em Matas. Foto: CMO

A comitiva passou depois pelas obras da Rua Dr. Francisco Sá Carneiro (2 milhões 375 mil euros) cujo conclusão se aponta para o 1º trimestre do próximo ano, e pelas Piscinas Municipais de Ourém onde decorrem as obras de reabilitação da cobertura e de execução das medidas de eficiência energética (573 mil euros).

Já da parte da tarde, autarcas e jornalistas estiveram na Estrada da Gravia, onde em breve se prevê iniciar obras de beneficiação (850 mil euros), no cemitério de Gondemaria, que sofreu obras de alargamento (53 mil euros) e no Outeiro da Calçada (280 mil euros).

De passagem pelo Olival, onde recentemente se inaugurou a Rota das Azenhas (230 mil euros), seguiu-se para Matas onde foi recentemente foi construído um ringue que servirá toda a população (50 mil euros). Em Espite, referência para as obras de alargamento do cemitério (152 mil euros) a iniciar no próximo ano e cujo processo está em fase de lançamento de concurso.

Na Urqueira foi recentemente inaugurado o largo do Rossio (421 mil euros), e, depois, em Caxarias, passagem junto ao futuro edifício multiusos onde funcionará o Centro de Saúde e a sede da Junta de Freguesia (1 milhão e 600 mil euros). Ainda em Caxarias, a comitiva testemunhou, na Escola Cónego Dr. Manuel Lopes Perdigão, o início das obras de arranjos exteriores e refeitório (1ª fase) e das salas de aula (2ª fase), um investimento aproximado de 1 milhão e 100 mil euros.

Centro de Saúde de Rio de Couros. Foto: CMO

A comitiva passou ainda pelo Centro de Saúde de Rio de Couros (160 mil euros), “praticamente concluído e a inaugurar nos próximos tempos”. Já na Freixianda, foi possível verificar as obras de grande envergadura, “o maior investimento de todos” da Área de Acolhimento Empresarial (cerca de 4 milhões de euros), “uma obra que poucos acreditaram que seria possível mas que está a decorrer em muito bom ritmo”. Prevê a sua conclusão em setembro do próximo ano.

Ainda na Freixianda, tempo para mostrar a requalificação de uma das pontes da EN 356, junto ao Parque de merendas (300 mil euros), em fase de conclusão.

Algumas destas obras são executadas através de protocolos com as juntas de freguesia, com a ressalva de que os valores são aproximados, faltando a referência a algumas obras já inauguradas como o Jardim Le Plessis-Trévise em Ourém.

Pelas contas do Presidente da Câmara, entre as obras já inauguradas este ano e as que estão em curso, o valor total ascende aos 20 milhões de euros.

Luís Albuquerque fez questão de elogiar os seus colegas no Executivo, bem como as equipas técnicas e todos os funcionários do Município “pelo grande esforço que têm feito para que se possa concretizar todo este volume de investimentos”.

O autarca aproveitou a conferência de imprensa para reiterar as linhas orientadoras e programáticas dos compromissos eleitorais assumidos, aproveitando os instrumentos de financiamento comunitário nas diversas áreas “de forma a contribuir para uma comunidade equilibrada, sustentável e solidária”.

Questionado pelo mediotejo.net sobre o que falta fazer, ou seja, as prioridades do Executivo até ao fim do mandato, Luís Albuquerque reconheceu que “falta fazer muita coisa”, elencando de seguida alguns dos “grandes projetos que estão a ser trabalhados”.

Referiu-se à necessidade de investimento nas entradas de Fátima, ao projeto do parque da cidade de Fátima, “uma necessidade premente” e ao alargamento do complexo desportivo de Fátima com dois novos campos sintéticos, “uma necessidade absoluta para as associações desportivas da cidade”. Em Ourém, referiu-se à Rua da Castela, à ligação entre as duas rotundas (o primeiro concurso para a obra ficou deserto), ao alargamento do parque ribeirinho de Ourém, à construção do ascensor para o castelo e vila medieval e à capela de S. Sebastião.

Nas freguesias, destacou a requalificação da EN 356 na ligação da rotunda da zona industrial a Caxarias.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *