Abrantes recebe III Taça de Basebol na Cidade Desportiva. Foto: mediotejo.net

A III Taça Cidade de Abrantes de Basebol vai decorrer este fim de semana de 12 e 13 de outubro, na Cidade Desportiva de Abrantes, e conta com a participação das equipas dos White Sharks Almada Baseball Club, Clube Desportivo Feirense – Basebol (atuais campeões nacionais), Piratas da Ria – Aveiro Basebol Clube e Capitals Basebol Clube, de Lisboa (atuais vice-campeões nacionais).

Este sábado disputam-se os primeiros jogos, com uma reedição das meias finais do Campeonato Nacional de Baseball deste ano. Às 10:00 os White Sharks Almada Baseball Club defrontam os Capitals Basebol Clube, e logo de seguida, às 12:00, os Piratas da Ria – Aveiro Basebol Clube jogam com o Clube Desportivo Feirense – Basebol, campeão nacional em título.

Com a participação de quatro equipas, a competição terá um ‘round robin’, com os dois primeiros a apurarem-se para a final. Decorrerão assim quatro jogos no sábado (às 10:00, 12:00, 14:00 e 16:00) e três no domingo (10:00, 12:00 e 14:00).

O vereador Luís Correia Dias destacou a importância deste Torneio, que inclui a participação de equipas de vários pontos do país durante dois dias, sendo que esta Taça de Abrantes antecede uma competição ibérica que se vai realizar no fim de semana seguinte, também na Cidade Desportiva, e que vai envolver a seleção nacional e a seleção da Andaluzia de basebol.

“Para além da questão da promoção e afirmação do basebol e do turismo desportivo em Abrantes, este é um Torneio importante também para a atividade económica concelhia ao nível da hotelaria e restauração, por exemplo”, disse o vereador Luís Dias, com o pelouro do Desporto na Câmara de Abrantes.

A III Taça Cidade de Abrantes está integrada no Circuito Nacional de Basebol, organizado pela Federação Portuguesa de Basebol e Softbol (FPBS) e disputam-se no Estádio Municipal de Abrantes, no único campo nacional construído de raiz para esta modalidade.

A iniciativa é da Federação Portuguesa de Basebol e Softbol e do Município de Abrantes.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *