Foto: CMA


Decorrem no âmbito do programa Bandeira Azul 2022 diversas iniciativas de Educação ambiental no concelho de Abrantes, sob o tema “Recuperação de ecossistemas”. As atividades têm sido dinamizadas para diversos públicos, envolvendo jovens, alunos, utentes das universidades de terceira idade e público em geral.

A próxima atividade acontece na sexta-feira, dia 12 de agosto, com uma oficina para crianças que vai contar com a presença da autora do livro “Plasticus maritimus”, Ana Pêgo, a realizar na praia fluvial de Aldeia do Mato, pelas 10h30.

A atividade, que pretende transmitir mensagens ambientais através da leitura e animação, conta com o apoio da Biblioteca Itinerante de Abrantes “José Diniz”.

Já para 17 de setembro está agendada a ação de formação “Peixinhos do rio” com a presença de uma equipa de investigadores do MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e que terá uma componente prática de pesca elétrica no rio, com observação direta das espécies pescadas pelos participantes.

Entre as diversas atividades já realizadas este ano, a autarquia destaca a exposição “O Mundo que nos rodeia – Biodiversidade no nosso concelho”, que se realizou no ParqueTejo; o projeto “Muros com vida”, dinamizado pelas Eco-Escolas Sr. Solano de Abreu e Octávio Duarte Ferreira, em Tramagal, e que consistiu na pintura de muros ao ar livre sobre a recuperação dos ecossistemas; o projeto “O mar começa aqui” em que as Eco-Escolas Octávio Duarte Ferreira e D. Miguel de Almeida desenvolveram desenhos que depois pintaram em alguns dos sumidouros nas suas escolas; e a campanha de sensibilização “Beatas só no cinzeiro… no chão não!” que passou pelas praias fluviais de Aldeia do Mato e Fontes nos dias 21 e 22 de julho, respetivamente.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.