Os campos de padel municipais estão situados no Aquapolis Norte. Foto: CMA

O regulamento, aprovado a 6 de setembro por unanimidade na reunião de executivo municipal, estabelece que “a utilização dos campos de Padel realiza-se por períodos de utilização total de 1h30, podendo ser prolongado por tempos consecutivos de 1h30, desde que haja disponibilidade, sendo que cada utilizador tem, como limite semanal, duas utilizações”.

Por outro lado, “a utilização dos campos e respetivo aluguer de material corresponderá a uma tarifa definida na Tabela de Preços do Município, no valor de 10,00€, por períodos de utilização”.

Refere a autarquia, em comunicado, que “se tornou necessário a implementação de um conjunto de disposições normativas para a correta gestão, manutenção, acesso e utilização destes equipamentos municipais de interesse público, que têm vindo a registar uma grande afluência de praticantes”.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Abrantes inaugurou, a 5 de setembro de 2020, dois campos descobertos para a prática de padel, uma variante do ténis. Os equipamentos representaram um investimento na ordem dos 50 mil euros e estão disponíveis para utilização na área do parque de desporto e lazer do Aquapolis, na margem norte, em Barreiras do Tejo.

Desde 2020 que a sua utilização era gratuita “temporariamente”, reforça a autarquia, “havendo possibilidade de empréstimo de equipamento, como forma de incentivo à prática desta modalidade emergente”.

Dois anos depois, e com a modalidade já consolidada, a autarquia elaborou o presente regulament “nos termos da legislação, nomeadamente da Constituição da República Portuguesa e da Lei de Bases da Atividade Física e do Desporto.

O documento será deliberado em sede de Assembleia Municipal e entrará em vigor após publicação no Diário da República, após a qual poderá ser consultado nos meios de comunicação da Câmara Municipal.

NOTÍCIA RELACIONADA

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.