Mestre Fernando Correia vai ser homenageado em Torneio de Judo. Foto: DR

O torneio, que reconhecerá Fernando Correia enquanto figura de relevo no Judo em Abrantes e na região do Médio Tejo, é organizado pela AJDS através do Instituto de Formação de Judo e Disciplinas Associadas, em colaboração com o Município de Abrantes e a secção de judo do Clube Desportivo “Os Patos”.

A Câmara de Abrantes aprovou, no dia 2 de novembro, um apoio de 2.800,00€ a atribuir à Associação de Judo do Distrito de Santarém (AJDS) no âmbito da realização deste torneio, a realizar no sábado, dia 12 de novembro, com início às 10h45, no Pavilhão Municipal do Pego.

A iniciativa insere-se no Projeto “Judo+”, que promove a motivação para o convívio e competição de excelência junto dos atletas mais novos, até aos 12 anos de idade, refere a autarquia em nota de imprensa.

Podem participar os atletas dos escalões Benjamins (2012, 2013, 2014, 2015), Infantis (2011) e Iniciados (2010), contemplando-se medalhas, diplomas e surpresas para todos os participantes.

As inscrições podem ser realizadas em https://judoajdsantarem.com/portfolio_category/provas/.

Refira-se que a 3 de novembro de 1969, o Mestre Fernando António Dias Correia fundou o Judo Clube de Abrantes, um dos clubes fundadores da Associação de Judo do Distrito de Santarém.

Espera-se a presença de Fernando Correira no Torneio de Judo às 12h00, altura em que o Município de Abrantes, a AJDS e o C.D. “Os Patos” irão prestar-lhe a devida homenagem pública.

Biografia do Mestre Fernando António Dias Correia
Nascido em 1946, Fernando António Dias Correia estava destinado a grandes conquistas e grandes feitos.
Sonhador, visionário, lutador, com um enorme espírito solidário e dono de uma determinação e resiliências inigualáveis, as quais nunca o fizeram desistir, traçou um caminho de escolhas certas e soube sempre, com a sua visão única, trabalhar para os seus objetivos.
Em consequência do sarampo que teve, acabaria por perder um dos 5 sentidos por volta dos 7 anos de idade: a audição.
Numa época em que as nossas escolas não sabiam integrar a diferença, e em que o mais provável para alguém surdo era traçar um caminho diferente, o Mestre Fernando Correia construiu a sua história.
Uma história de sucesso, onde em já idade adulta entrou o Judo como modalidade pela qual se apaixonaria.
A 3 de novembro de 1969, o Mestre Fernando António Dias Correia fundou o Judo Clube de Abrantes, um dos clubes fundadores da Associação de Judo do Distrito de Santarém e que funcionou durante 31 anos, até 2000.
Abraçou a modalidade com uma paixão ímpar e fez com que muitos à sua volta se apaixonassem também por ela, impulsionando a criação de diversos clubes na região centro.
Ao longo da sua carreira de judoca, somou várias conquistas, destacando-se dois títulos de Vice-Campeão do Mundo em Campeonatos para Surdos (Campeonatos do Mundo Silencioso, em França – Dunquerque, 1982 – e Japão – Tóquio, 1989).
Da sua vida constam inúmeros feitos para além do Judo, assim como uma carreira de sucesso como Osteopata.
Esteve sempre ligado às Tropas Pára-Quedistas, como instrutor de Judo e Defesa Pessoal, até se reformar por incapacidade.
Resistiu a diversos obstáculos, fez sempre das adversidades conquistas e continua a ser, para muitos, uma verdadeira inspiração e lição de vida. Fonte: AJDS

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Fui um judoca que sempre acompanhei o Fernando desde os tempos do Sporting Clube de Abrantes, no local onde hoje está implantada a Biblioteca António Botto. Depois no Pavilhão situado à entrada do parque, mesmo ao lado do Instituto Politécnico, e depois ainda numas instalações no interior no Convento de S. Domingos. Conheço a sua força anímica, física (com ele fiz muitos randoris), a sua resiliência. É (era) de uma dinâmica inquebrantável, na altura estava na direcção do S.C. de Abrantes e sei bem como ele lutava pelos seus valores, a sua teimosia saudável, quer com o Sporting quer com a própria Câmara para a cedência de instalações. Acabou por fundar o Judo Clube de Abrantes e continuei com a sua companhia, quer em torneios, quer ainda por sua absoluta “exigência” num curso de árbitros no clube “O Parafuso” no Entroncamento. Era amigo do seu amigo, sempre muito frontal, e de uma dinâmica de antes quebrar que torcer. Ainda hoje tenho saudades desse tempo, nos exemplos que nos transmitia e nos seus ensinamentos, e naquilo de bom que o Judo tem que é o profundo respeito pelo adversário. Num àparte direi que, na altura, suscitou algumas dúvidas em certas mentes a implantação do Judo em Abrantes pela sua novidade. Só a sua tenacidade levou de vencida a vontade que tinha. Hoje, sei, que se encontra muito abalado na sua saúde mas espero bem vê-lo no próximo sábado, certamente acompanhado de sua irmã, médica, a Filomena a quem desejo dar um abraço tal como ao Fernando.
    Força Fernando são os votos do Avelino A. Ferreira da Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *