Abrantes lança empreitada de 2.6 milhões para intervir na linha de água da Ribeira de Rio de Moinhos. Foto: CMA

A intervenção, com um prazo de execução previsto de 270 dias, pretende resolver alguns pontos críticos que resultaram dos efeitos da tempestade Elsa, em dezembro de 2019, que deixou rasto de destruição em diversos pontos de Abrantes e de outros concelhos da região. O município abrantino conseguiu garantir financiamento para intervir ao longo de 5 km da linha de água da ribeira, entre Aldeia do Mato e Rio de Moinhos.

Para Manuel Jorge Valamatos, presidente de Câmara de Abrantes, este investimento é “muito importante” pois “há muitos anos que a linha de água não é intervencionada”, além do “episódio meteorológico devastador que deixou sinais de grande fragilidade em toda a linha de água e suas infraestruturas”.

O foco é “reabilitar e criar condições estruturais” capazes de aguentar “impactos extremos da natureza, como grandes chuvadas” para que episódios de muita chuva e intempérie possam não trazer maiores prejuízos para as infraestruturas, habitações e população residente.

“Esta empreitada visa a requalificação ambiental e ecológica de um troço da Ribeira de Rio de Moinhos em Abrantes, junto dos aglomerados populacionais da Pucariça, Arco, Aldeinha e Rio de Moinhos no concelho de Abrantes, com soluções de engenharia natural tendo por objetivo repor as condições de serviço das infraestruturas danificadas pela passagem do fenómeno meteorológico Elsa, que afetou Portugal continental entre os dias 16 e 20 de dezembro de 2019, nomeadamente pequenos açudes de rega, diversas passagens hidráulicas e pontões”, pode ler-se em comunicado da autarquia.

Durante a depressão Elsa, com chuva intensa, o caudal da Ribeira de Rio de Moinhos foi imenso e provocou danos em infraestruturas,invadindo a via pública e propriedades. Foto: JFRM

No plano incluem-se ainda “intervenções de desobstrução, regularização dos cursos de água e controlo de cheias” bem como “a recuperação da qualidade das massas de água, a proteção dos ecossistemas, a promoção da biodiversidade e a promoção da defesa contra cheias de pessoas e bens, segundo as boas práticas de reabilitação de cursos de água com recurso à aplicação de técnicas de engenharia natural e de renaturalização do ecossistema ribeirinho”.

A empreitada tem financiamento garantido do programa COMPETE 2020 através de candidatura apresentada pelo Município ao “Apoio à Transição Climática, Reabilitação da Rede Hidrográfica, Eixo VII-REACT-EU FEDER”, tendo sido aprovado um apoio de 2 milhões de euros.

O presidente de Câmara, o socialista Manuel Jorge Valamatos, salientou na reunião de Câmara de 10 de janeiro que “o concurso foi lançado a 27 de dezembro” e querer “receber as propostas até dia 5 de fevereiro para podermos entrar rapidamente em obra e dar robustez àquela ribeira, num traçado de mais de 5 kms”.

De fora desta candidatura ficaram outros pontos do concelho também atingidos pela tempestade Elsa, pretendendo a autarquia no futuro intervir ainda na Ribeira de Amoreira e na Ribeira de Sentieiras.

“Com as enxurradas a água da ribeira invadiu as hortas das pessoas, deixou estragos muito significativos. Por exemplo, nas Sentieiras, uma das hortas das pessoas desapareceu por completo. Temos de repor toda a terra que ali existia. Em ambas as linhas de água, na Amoreira e Sentieiras, bem como em Martinchel, há registo de situações onde teremos de intervir e que não conseguiram entrar neste programa de financiamento. Estamos atentos e procuraremos outras formas e outros programas para dar as respostas necessárias para as correções devidas”, concluiu o edil.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *