CEHLA apresenta no sábado, 10 de dezembro, em Abrantes, a edição nº 40 da revista Zahara. Foto: DR

O Centro de Estudos de História Local de Abrantes (CEHLA) organiza esta sexta-feira, dia 10 de dezembro, no Edifício Pirâmide (Abrantes), as XVIII Jornadas de História Local. O programa é vasto e decorre ao longo de todo o dia. A sessão de abertura está marcada para as 09:45.

O evento é realizado ininterruptamente há quase 20 anos e nele o público pode contactar com autores, historiadores, comunicações e projetos, num dia que vai decorrer também o lançamento e apresentação pública do n.º 38 da revista semestral “Zahara”.

As ‘cisternas de Abrantes’, por José Manuel d’Oliveira Vieira, ‘a fábrica das malas do senhor Pombo’ (Mação), por João A. Pires da Silva, ‘visionária e endemoinhada’, por Joaquim Candeias da Silva, o ‘hospital da Misericórdia do Sardoal’, por Dulce Figueiredo, ou a ‘Matagosa em 1952’, por José Martinho Gaspar, são alguns dos temas que preenchem a revista.

A participação é gratuita e não necessita de inscrição, sendo obrigatório o uso de máscara e apresentação do certificado digital.

PROGRAMA XVIII JORNADAS DE HISTÓRIA LOCAL

09h30 Abertura

09h45 Tecer redes, entre o fio de Ariadne e a teia de Penélope, por Margarida Moleiro, Rede de Museus do Médio Tejo

10h30 Intervalo

10h45 Novos Museus

Museus de Abrantes, por Luís Filipe Dias, Câmara Municipal de Abrantes

Museu Pequito Rebelo, por Graciosa Chambel e Ana Luísa Lucas, Câmara Municipal de Gavião

Centro de Interpretação da Semana Santa, por Miguel Borges, Câmara Municipal de Sardoal

Núcleo Museológico de Ortiga, por João Filipe, Equipa de Coordenação

12h00 Novos livros na área da História/Património: breve apresentação, pelos Autores

12h15 Lançamento do n.º 38 da Revista de História Local Zahara

13h00 Intervalo para almoço

14h30 Ao serviço da divulgação dos Museus na Rádio Amália, por António Acciaioli Campos

14h45 Inventário de Bens Culturais da Igreja, por Francisco Valente, Comissão dos Bens Culturais da Igreja da Diocese de Portalegre-Castelo Branco

15h00 Conservação e Restauro, por Charlotte Weiss e Cristina Reis, Conservadoras Restauradoras com ateliês na região

15h15 Rotas de Mação, por Leonel Mourato, Associação Rotas de Mação

15h45 Intervalo

16h00 Visita ao MIAA – Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes

Participação gratuita

Não necessita de inscrição Certificado aos participantes

Uso de máscara e apresentação de certificado digital obrigatórios

Organização: CEHLA – Centro de Estudos de História Local de Abrantes

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *