Pavilhão da Escola de Santa Iria era o local inicialmente previsto para acolher o novo Centro de Vacinação de Tomar após validação das entidades de saúde. Alunos, professores e pais estão contra a decisão. Foto: DR

O Centro de vacinação de Tomar deverá iniciar funções no dia 9 de dezembro na sua nova localização, o pavilhão da Escola Básica de Santa Iria, confirmou ao mediotejo.net a presidente da Câmara, Anabela Freitas. Esta decisão não tem sido aceite de forma pacífica, com alunos, professores e pais a manifestarem repúdio pela transferência do centro de vacinação da covid e da gripe para o interior das instalações escolares. Acontece que, entre os vários espaços visitados na semana passada, o ACES Médio Tejo validou apenas o pavilhão da Santa Iria. A presidente da Câmara Municipal já havia frisado na passada reunião de Câmara que as questões de saúde pesam mais na balança, e que “o mal menor” é a EB Santa Iria, tendo apontado que o ginásio da escola continuará disponível, bem como o pavilhão da Escola Jácome Ratton, nas imediações – local, aliás, onde o centro de vacinação começou por estar instalado no arranque da vacinação.

Tal já havia sido anunciado em reunião de Câmara no início da semana, dia 29 de novembro, com Anabela Freitas a dar conta de que chegaram indicações para encontrar um novo local que permita aumentar o espaço e aumentar o número de postos de vacinação, tendo a Câmara iniciado há várias semanas, com a entidade de saúde, visitas a espaços em Tomar para serem validados consoante um conjunto de condições para o efeito.

A edil sublinhou, quanto à escolha do pavilhão da Escola de Santa Iria, que “pesa na balança as questões de saúde e que foi este o selecionado e validado pela saúde”.

“Foi validado pela Saúde o pavilhão da Escola de Santa Iria, que tem entrada autónoma, não quebra na totalidade a prática desportiva das crianças porque tem um ginásio e um pavilhão. O que vai ser afeto é o pavilhão, ficando o ginásio para a utilização pelos alunos”, pelo que avançará a transição do atual centro de vacinação no 1º piso do Pavilhão Cidade de Tomar para o pavilhão da EB Santa Iria nos próximos dias.

A edil reconheceu, ainda assim, ser desejável que não haja interrupção da prática desportiva nas crianças e nos jovens, e que só em último dos últimos casos se visitaram pavilhões ou instalações afetas às escolas.

Por outro lado, voltar ao Pavilhão Jácome Ratton – o local onde funcionou o primeiro centro de vacinação da cidade – estava fora de questão “para não sacrificar novamente os jovens que já estiveram sem prática desportiva e naquela escola existem cursos profissionais de desporto e prejudicar-se-ia o percurso e a via de ensino destes jovens”.

Refira-se que o Centro de vacinação começou por funcionar no Pavilhão Jácome Ratton, passando depois para o 1º piso do Pavilhão Municipal – situação que levou a reclamações sobre o funcionamento e atendimento e a procurar alternativas. Créditos: CM Tomar

“O mal menor é mesmo a Escola de Santa Iria”, afirmou a presidente de Câmara na reunião, insistindo que tem ginásio e pavilhão, em proximidade à Jácome Ratton, e permite que o 3º ciclo possa deslocar-se para a Jácome Ratton e não haver perda de prática desportiva.

“A solução caso não existam espaços, é Tomar dizer que não existem condições para ter um centro de vacinação na cidade e os cidadãos irem vacinar-se noutro centro de vacinação”, alertou a presidente de Câmara.

Um dos espaços que foi proposto e visitado pela autarquia foi na Avenida Cândido Madureira e que pertence ao Politécnico de Tomar, que tem uma galeria no rés-do-chão e não teria problema de acessibilidade. Porém não foi validado pela entidade de Saúde.

Também Hugo Cristóvão, vereador com o pelouro da Educação, referiu na reunião que dentro da necessidade de definir prioridades entre os espaços escolares disponíveis, a Escola de Santa Iria “é a que menos sai prejudicada pela utilização do pavilhão, por ser a que tem menos alunos e porque dentro do Agrupamento de Escolas Templários, a distância ao Pavilhão Jácome Ratton é quase igual em relação ao pavilhão da Escola Santa Iria”.

Lembrou ainda que na Jácome Ratton há outro ginásio, o antigo pavilhão, que pode ser utilizado face às necessidades da comunidade escolar.

“Dentro das instalações possíveis, o Pavilhão da Escola Santa Iria é a solução que menos prejudica os alunos, mesmo que a autarquia preferisse que não fosse necessário recorrer a estas soluções, mas o tempo que se vive assim o obriga”, concluiu o vereador na ocasião.

Acontece que a comunidade escolar e a Associação de Pais tem-se movimentado no sentido de manifestar-se contra a instalação do Centro de vacinação na escola.

Foto: CM Tomar

Se por um lado os docentes alertam para o facto de serem restringidas as condições para a prática desportiva e para lecionar Educação Física e isso interferir na atividade letiva, também os pais se manifestam contra o funcionamento deste centro no interior das instalações escolares, reivindicando a segurança, privacidade e tranquilidade dos mais novos ao frequentarem a escola.

A Associação de Pais fez circular uma nota dando conta do descontentamento e referindo convocar nova reunião com a autarquia e entidades de saúde para o final do dia, nesta sexta-feira, altura em que também decorreu uma manifestação dos alunos à porta da escola.

“Não podemos deixar que façam do espaço de desporto dos nossos filhos, um centro de vacinação, com tudo o que implica a permanência constante de pessoas estranhas na escola. O desporto é saúde. Há muitos espaços vagos na cidade, a ACES não quer aceitar nenhum, vamos mostrar que aquele espaço não é opção. Vamos defender os direitos das nossas crianças”, refere a Associação de Pais.

Recorde-se que já na segunda-feira, dia 29 de novembro, Anabela Freitas deu conta de que se iria realizar reunião com a Associação de Pais nessa tarde, não tendo havido consenso para uma alternativa. Nessa reunião a autarquia propôs que as aulas de Educação Física possam realizar-se no Pavilhão da Escola Jácome Ratton, a alguns metros da Escola Santa Iria, ou então a colocação de uma tenda no recinto escolar com três contentores de apoio para a prática desportiva e de outras atividades de exterior. Situação que não é todo aceite pelos pais, que prosseguem na luta contra esta que parece ser uma decisão irreversível.

Anabela Freitas confirmou esta sexta-feira à tarde que está previsto o novo centro de vacinação arrancar em funções no pavilhão da Escola Santa Iria a 9 de dezembro, próxima quinta-feira.

Na reunião de Câmara os vereadores do PSD mostraram-se surpreendidos com a decisão, com o vereador Luís Francisco (PSD) a lembrar ter sido dito pelo executivo “que se estavam a estudar alternativas mas que evidentemente a solução não poderia passar por um pavilhão desportivo de uma escola”.

Disse que “o PSD ficou espantado com a solução noticiada, de o centro de vacinação passar para o pavilhão da Escola de Santa Iria, tendo tal opção gerado repúdio pela comunidade escolar” e questionou “se não existem outras alternativas de edifícios sem grande uso, condignos para o efeito e com possibilidade de estacionamento e acesso fácil”.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.